Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/12125
Title: Qualidade de imagem versus dose em tomografia computorizada: optimização dos protocolos de crânio
Authors: Medeiros, João 
Orientador: Vaz, Pedro
Madeira, Paula
Lopes, Isabel
Keywords: Proteção das radiações ionizantes; Tumografia computorizada; Tumografia computorizada - dose - qualidade da imagem
Issue Date: 2009
Citation: Medeiros, João - Qualidade de imagem versus dose em tomografia computorizada: optimização dos protocolos de crânio
Abstract: A Tomografia Computorizada (TC) é actualmente uma das mais importantes práticas radiológicas em todo o mundo. A tendência de utilização crescente da TC verifica-se desde há duas décadas e tem como consequência do aumento substancial da exposição de pacientes a doses de radiação ionizantes, comparativamente às doses de radiação que estariam expostos utilizando outras técnicas de Radiologia. A dose para o paciente e a dose colectiva resultante dos exames de TC para fins médicos, constituem um problema de Saúde Pública que inquieta decisores e especialistas em diversos países europeus e nos Estados Unidos da América, entre outros. A optimização das doses a que estão expostos os pacientes em exames de TC, um dos princípios basilares em Protecção Radiológica (juntamente com o principio da justificação e da limitação de doses) e a escassez de estudos relativos ao estudo e quantificação do binómio dose – qualidade de imagem em protocolos utilizados em exames de TC motivaram a realização deste trabalho. Neste estudo identificaram-se técnicas para exames de TC de crânio de que resultam menores doses para o paciente sem degradação significativa da qualidade de imagem. Utilizaram-se quatro tomógrafos (Philips AV Performance Series, Philips AV Expander Series, General Electrics Brightspeed e Siemens Somaton Definition) e determinou-se uma relação quantitativa entre a dose absorvida e a qualidade de imagem através de fantomas de qualidade de imagem e de medição de dose. Avaliaram-se os diferentes índices de qualidade de imagem em função do produto intensidade de corrente pelo tempo de rotação (mAs), da colimação e da espessura de corte, utilizando-se um fantoma de PMMA e câmaras de ionização apropriadas para a medição da dose. Obtiveram-se reduções de dose até 50% sem perda significativa da qualidade de imagem para fins de diagnóstico em relação aos protocolos adoptados pelas diferentes unidades hospitalares em que foi efectuado o estudo, concluindo-se ser possível a adopção destes protocolos de TC com redução de dose na maioria dos exames de diagnóstico de crânio
URI: http://hdl.handle.net/10316/12125
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Física - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dose versus Qualidade de Imagem em TC - João Medeiros.pdf2.25 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

781
checked on May 28, 2020

Download(s) 10

2,152
checked on May 28, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.