Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/110285
Title: Mosteiro de Santa Maria de Seiça - Um centro cultural e tecnológico como método para a conservação do património
Other Titles: Monastery of Santa Maria de Seiça - A cultural and technological center as a method of heritage conservation
Authors: Pereira, Guilherme Rodrigues
Orientador: Lobo, Rui Pedro Mexia
Keywords: História; Cultura; Indústria; Ambiente; Sustentabilidade; History; Culture; Industry; Environment; Sustainability
Issue Date: 27-Sep-2023
Serial title, monograph or event: Mosteiro de Santa Maria de Seiça - Um centro cultural e tecnológico como método para a conservação do património
Place of publication or event: Departamento de Arquitetura, Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra
Abstract: Com o desenvolvimento deste projeto procura-se responder às necessidades atuais do lugar e da ruína do Mosteiro de Santa Maria de Seiça, na procura por um programa sustentável que justifique economicamente o custo da intervenção para a estabilização da ruína, para consequente salvaguarda do património, de modo a preservar os ideais de diferentes vivências da sua história e a sua relação e influência no território. Tanto a importância dos monges de Cister na organização do território, na época da colonização e fundação do território português, como a influência económica resultante da exploração de recursos presentes na região com a introdução da fábrica de descasque de arroz no espaço do antigo Mosteiro após a sua extinção. A instalação da fábrica de arroz reativou e transformou o Mosteiro funcionalmente num edifício fabril quando este ficou ao abandono, após supressão das ordens religiosas, e após os primeiros sinais da revolução industrial em Portugal. A necessidade de criação de ligações de caminho de ferro para promover o escoamento de produtos agora produzidos em larga escala, levou à demolição do transepto e do altar-mor da igreja do Mosteiro de Seiça para a passagem da linha do Oeste. Ficou, desde então, o mosteiro bastante desfigurado face ao seu desenho original, resultante de outros ideais económicos e sociais com a industrialização, que se sobrepuseram à conservação do património arquitetónico, mas que com o passar do tempo fazem parte da história e da atualidade do Mosteiro. Com a presença das memórias industriais difíceis de remover, na paisagem e no desenho atual do mosteiro, pretende-se adaptá-lo de novo a essa última função, com uma nova utilização dos espaços interiores e exteriores conventuais. Desta vez com espírito critico em arquitetura, de modo a respeitar a sua memória ao longo de séculos de mudanças, e permitir a compreensão da história do complexo monástico na leitura das suas volumetrias. O novo programa deve representar em parte a influência dos monges de Cister na gestão e organização do território, com a introdução de uma funcionalidade que procure dar resposta a uma necessidade de sustentabilidade ambiental atual bastante presente no espaço envolvente ao mosteiro, com incidência na correção do elevado descontrolo florestal. Pretende-se instalar uma nova indústria no espaço do mosteiro, com o objetivo de revitalização dessas áreas, que necessitam de urgente intervenção e investimento, que por contrapartida de exploração, são fontes rentáveis em termos de matérias-primas, de onde se pretende alcançar sustentabilidade económica para o investimento inicial e na sua manutenção e sustentabilidade sociocultural de todo o programa, fruto da mesma intervenção. O programa pretende reabilitar dois marcos importantes na história de Portugal, o mosteiro e as áreas de pinheiro-bravo do território envolvente, compreendidas pelo Pinhal do Rei. O novo programa, para além de garantir a sustentabilidade do conjunto arquitetónico, possibilita a criação de emprego local especializado, que maioritariamente será trabalho de campo. O que permite articular o programa funcional com a visita do espaço do mosteiro, como incentivo à cultura e ao conhecimento do património arquitetónico e da sua história, de forma a explorar uma necessidade cada vez mais atual de coexistência entre a indústria e o ambiente. Para a inserção do programa no espaço do mosteiro será tirado partido da construção pré-existente, de forma a manter a história do edifício bastante marcada ao longo de séculos de mudanças, retratada nas suas volumetrias e materialidades. Não pretendemos que o edifício recue no tempo, nem tão pouco redesenhar os espaços com os mesmos ideais dos monges de Cister. Estes serão, contudo, respeitados e adaptados para implementar os objetivos que são procurados pelo novo programa. Pretende-se uma clara compreensão entre o que se mantém do desenho original do mosteiro, e os volumes anexados posteriormente, através da valorização de uma diferente materialidade nos volumes anexos. Materialidade essa que se pretende adquirir pelo aproveitamento de recursos provenientes do território envolvente e das áreas a intervencionar, nomeadamente a madeira de pinho que será o elemento fundamental na conceção do projeto de arquitetura, de modo a reduzir o orçamento para a consolidação da ruína e a valorizar este recurso natural presente no território.
With the development of this project, an attempt is made to respond to the current needs of the place and the ruin of the Monastery of Santa Maria de Seiça, in the search for a sustainable program that economically justifies the cost of the intervention for the stabilization of the ruin, for the consequent safeguard of the heritage, in order to preserve the ideals of different experiences of its history and its relation and influence in the territory. Both the importance of the Cistercian monks in organizing the territory, at the time of colonization and founding of the Portuguese territory, and the economic influence resulting from the exploitation of resources present in the region with the introduction of the rice husking factory in the space of the former monastery after its extinction. The installation of the rice factory reactivated and transformed the Monastery functionally into a factory building when it was abandoned, after the suppression of religious orders, and after the first signs of the industrial revolution in Portugal. The need to create railroad connections to promote the flow of products now produced on a large scale, led to the demolition of the transept and the high altar of the church of the monastery of Seiça for the passage of the west railroad line (Linha do Oeste). Since then, the monastery has been quite disfigured compared to its original design, resulting from other economic and social ideals with industrialization, which overcame the conservation of the architectural heritage, but that over time have become part of the history and part of the monastery in the present. With the presence of the difficult to remove industrial representations, in the landscape and in the current design of the monastery. With this project it is intended to adapt the Monastery again to this last function, with a new use of the interior and exterior spaces of the convent. This time with a critical architectural spirit, in order to respect its memory over centuries of changes, and allow the understanding of the history of the monastic complex in the reading of its volumes. The new program should partly represent the influence of the Cistercian monks in the management and organization of the territory, with the introduction of a feature that seeks to respond to a current need for environmental sustainability that is very present in the space surrounding the monastery, with a focus on correcting the high lack of forest control. It is intended to install a new industry in the space of the monastery, with the aim of revitalizing these areas, which require urgent intervention and investment, which in return for exploration, are profitable sources in terms of raw materials, from which it is intended to achieve economic sustainability for the initial investment and in its maintenance and sociocultural sustainability of the entire program, as a result of the same intervention. The program aims to rehabilitate two important landmarks in the history of Portugal, the monastery and the maritime pine areas of the surrounding territory, comprising the Pinhal do Rei. The new program, in addition to ensuring the sustainability of the architectural complex, enables the creation of specialized local employment, which will mostly be field work. This makes it possible to articulate the functional program with a visit to the monastery space, as an incentive to culture and knowledge of the architectural heritage and its history, in order to explore an increasingly current need for coexistence between industry and the environment. For the inclusion of the program in the space of the monastery, pre-existing construction will be taken advantage of, in order to maintain the history of the building quite marked over centuries of changes, portrayed in its volumes and materiality. We do not intend for the building to go back in time, nor to redesign the spaces with the same ideals as the Cistercian monks. These will, however, be respected and adapted to implement the objectives that are sought by the new program. With this project it is intended a clear understandment between what remains of the original design of the monastery, and the volumes added later, through the appreciation of a different materiality in the attached volumes. This materiality is intended to be acquired through the use of resources from the surrounding territory and areas to be intervened, namely pine wood, which will be the fundamental element in the design of the architectural project, in order to reduce the budget for the consolidation of the ruin and to enhance this natural resource present in the territory.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitetura apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: https://hdl.handle.net/10316/110285
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File SizeFormat
Dissertação_GuilhermePereira.pdf51.62 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

14
checked on Feb 28, 2024

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons