Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/10774
Title: Conhecimentos dos enfermeiros face à infecção VIH/SIDA
Authors: Barroso, Ana Paula Dias 
Orientador: Oliveira, Joaquim
Jorge, Ana Maria
Keywords: Sindroma da imunodeficiência adquirida
Issue Date: 2008
Abstract: Ao longo da história temos sido confrontados com as mais diversas patologias e epidemias, algumas das quais massacraram muitos milhões de pessoas. Actualmente diversas patologias têm sido responsáveis pelo sofrimento de muitos indivíduos: a gripe, a tuberculose, a hepatite B e a SIDA são exemplos de infecções responsáveis por grande número de mortes. A SIDA é uma pandemia para a qual ainda não foi encontrada cura. Torna-se particularmente perigosa porque está associada aos nossos comportamentos. A problemática da infecção VIH/SIDA está presente diariamente em todos os estratos sociais e o número de novos casos continua a aumentar. Os profissionais de saúde, nomeadamente os enfermeiros, contactam diariamente com pessoas possivelmente infectadas, mesmo sem saberem. No seu local de trabalho estão, potencialmente, sujeitos ao risco de contágio, mesmo fazendo uso sistemático das precauções universais, bem como de todas as regras elementares de segurança e higiene. Os acidentes profissionais, colocam-nos em risco de contaminação pelo VIH, o que nos torna vulneráveis e nos traz preocupações, quer a nível individual, quer a nível do contexto familiar. Pretendemos, assim, com este trabalho, compreender o conhecimento que estes profissionais têm face a uma doença com a qual, muitos deles, convivem diariamente. A amostra foi constituída por 157 enfermeiros, maioritariamente do género feminino (73,9%), na faixa etária compreendida entre os 31 e os 40 anos (39,5%). A maioria (82,9%) era detentora de licenciatura com a categoria profissional de “enfermeiro graduado” (68,2%). A maioria dos elementos da amostra não frequentou acções de formação subordinadas à temática da infecção VIH/SIDA (58%), sendo que esta frequência não foi influenciada por nenhuma das variáveis sócio demográficas estudadas. O que levou os enfermeiros a estarem presentes nestas acções foi o próprio interesse (97%), sendo que na maioria das vezes quem custeou a formação foram os próprios (78,8%). Obteve-se uma média de 82,7% de respostas correctamente assinaladas. A amplitude variou entre os 44,8% de respostas correctamente marcadas e os 96,8%. Abaixo da média de conhecimento situaram-se 45,9% dos enfermeiros. Este conhecimento apenas é influenciado pelas habilitações académicas. Verifica-se que quanto maior o grau de habilitação académica maior o nível de conhecimento obtido. Na análise individual de algumas frases constituintes do inquérito, denota-se níveis de acertos muito baixos para esta população específica, o que poderá prejudicar o desempenho da profissão, nomeadamente na prestação de cuidados a doentes infectados pelo VIH/SIDA e na prevenção primária da doença.
Throughout history we have been confronted with the most diverse diseases and epidemics, most of which massacred many millions of people. Currently various diseases have been responsible for the suffering of many individuals: influenza, tuberculosis, hepatitis B and AIDS are examples of infections responsible for large numbers of deaths. AIDS is a pandemic for which has not yet been found healing. It is particularly dangerous because it is correlated to our behaviour. The problem HIV / AIDS is present in all extracts daily social, and the number of new cases continues to rise. The health professionals, especially the nurses, daily contact with people possibly infected, even without knowing. In their place of work are always subject to risk of infection, even when making use of universal precautions, as well as all basic rules of safety and hygiene. Accidents professionals as well as their attitude put these professionals at risk of contamination by HIV, which makes them vulnerable and brings concerns, or at the individual level both within the family context. We want so, with this work, understand the knowledge that these professionals are faced with a disease to which many of them, live daily. The sample consisted of 157 nurses, mostly women (73,9%), aged between the 31 and 40 years (39,5%). The majority (82,9%) was holding the degree of licensed with the professional category of “nurses graduated "(68,2%). Most of the elements in the sample not attended training schemes dependent on the theme HIV/AIDS (58%), and this often is not influenced by any of the social demographic variables studied. What led the nurses to be present in these actions was the self-interest (97%), whereas most of the time who were paid the training themselves (78.8%). The average of knowledge obtained was 82,7% for correct answers, with a magnitude to vary between 44,8% and 96,8% of right answers, correct. Below average of knowledge have up 45,9% of the nurses. This knowledge is only influenced by educational. It appears that the higher the level of qualification literary higher the level of knowledge obtained. In the analysis of some phrases individual constituents of the investigation, shows up very low levels of successes for this particular population, which could impair the performance of the profession, particularly in the care of patients infected by HIV/AIDS and in primary prevention of the disease.
Description: Dissertação de mestrado em SIDA - Da Prevenção à Terapêutica, apresentada à Fac. de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: https://hdl.handle.net/10316/10774
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Ana Paula Dias Barroso.pdf557.21 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

733
checked on Apr 17, 2024

Download(s) 20

1,263
checked on Apr 17, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.