Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/104706
Title: Mecanismos de Resiliência Urbana na Arquitetura e na Paisagem. Montemor-O-Velho. Piscinas Naturais em Parque Urbano Lagunar
Other Titles: Urban Resilience Mechanisms in Architecture and Landscape. Montemor-O-Velho. Natural Swimming Pools in a Constructed Wetland Park
Authors: Vicente, Maria Beatriz Evangelista Monteiro de Carvalho
Orientador: Cardielos, João Paulo Vergueiro Monteiro de Sá
Keywords: Resiliência Urbana; Tratamento Fitossanitário; Parque Urbano Lagunar; Cidade Esponja; Construção em Taipa; Urban Resilience; Phytosanitary Treatment; Constructed Wetland; Sponge City; Rammed Earth Construction
Issue Date: 23-Sep-2022
Serial title, monograph or event: Mecanismos de Resiliência Urbana na Arquitetura e na Paisagem. Montemor-O-Velho. Piscinas Naturais em Parque Urbano Lagunar
Place of publication or event: Montemor-o-Velho.
Abstract: Esta dissertação, centrada no território de Montemor-o-Velho, decorre de uma investigação focada na definição e aplicação, em projeto, de opções privilegiadas para a reabilitação de áreas urbanas, localizadas numa franja entre o meio urbano e o meio natural. Aposta na caracterização e implementação de mecanismos capazes de aumentar a resiliência urbana, nomeadamente, pela: criação de áreas húmidas; renaturalização e incremento da biodiversidade; opção por materiais naturais e sistemas construtivos que aliam, ao conhecimento contemporâneo, técnicas vernaculares; utilização e gestão eficiente de energias renováveis e não poluentes. Inscreve-se numa estratégia mais alargada, estendida a toda a região do Baixo Mondego, delineada ainda em fase de trabalho de grupo, na unidade curricular de Atelier de Projeto D, sob o lema Território e Paisagem. A procura da resiliência urbana mostrou-se totalmente pertinente face aos novos desafios que se colocam às cidades, nomeadamente, no âmbito de um quadro tão crítico de crise climática. Após uma análise extensiva, que permitiu caracterizar a região em termos Geofísicos e Climáticos, de valores Históricos e do Património Construído, da Demografia, Espaços Naturais Públicos e Privados, bem como Características do Edificado e Principais Espaços Construídos, ou Rede Viária e demais Infraestruturas, ficaram identificados os maiores problemas e potencialidades do território.A base do trabalho individual assumiu o título: Mecanismos de Resiliência Urbana na Arquitetura e na Paisagem, e assume o lugar de Montemor-o-Velho como um laboratório de investigação territorial. A localização, para a qual se propôs um projeto multiescalar de programa complexo, tem a água como elemento central. Pretendeu estender-se a frente urbana ribeirinha, em fase de requalificação, com a criação de um Parque Urbano Lagunar destinado a acolher uma unidade de tratamento fitossanitário para as águas residuais, que integra ainda piscinas naturais e um centro de bem-estar. A água surge assim, simultaneamente, como infraestrutura, espaço público, produtora de energia, promotora de biodiversidade e construtora de paisagem. Promove ainda o recreio e lazer, e os modos de vida mais saudáveis, de contacto franco com o meio natural. Inspira-se em obras de referência construídas, como o parque da Lagunage d´Harnes, por François-Xavier Mousquet, ou as intervenções desenvolvidas ao longo de cursos de água e zonas húmidas, projetadas pelo atelier Turenscape, com o arquiteto paisagista Konjian Yu.O conjunto projetual pretende funcionar como um organismo que aceita a ligação intrínseca e simbiótica que ocorre entre a natureza e o ser humano, e no seio da qual se procura desenvolver e prosperar. Olha-se o território e a transformação da paisagem através de uma lente percepcional, valorizando a experiência estética e sensorial. Uma atitude projectual que une ética e estética, e que com ambição pedagógica constrói um projeto ecológico que pretende ser uma âncora.
The present dissertation investigates intervention criteria in the rehabilitation of urban areas located on the fringe between the urban environment and the natural environment, through the characterization and implementation of urban resilience mechanisms, namely: by the creation of a wetlands; by the renaturalization and increase of biodiversity; by opting for natural materials and construction systems that combine contemporary knowledge with vernacular techniques; by the efficient use and management of renewable and non-polluting energies. As a part of a broader strategy, extended to the entire region of Baixo Mondego, outlined in the work-group strategy of Design Class D, under the motto Territory and Landscape. The search for urban resilience proved to be totally relevant in view of the new challenges facing cities, namely, in the context of such a critical climate crisis. After an extensive analysis, which allowed us to characterize the region in terms of Geophysical and Climatic, Historical Values ​​and Built Heritage, Demography, Public and Private Natural Spaces, as well as Characteristics of the Building and Main Built Spaces, or Road Network and other Infrastructures, the biggest problems and potential of the territory were identified.The basis of the individual work took the title: Mechanisms of Urban Resilience in Architecture and Landscape, and takes the place of Montemor-o-Velho as a laboratory for territorial investigation. The location, for which a multi-scale project with a complex program was proposed, has water as a central element. The intention was to extend the riverside urban front, which is currently being refurbished, with the creation of a Wetland Park to house a phytosanitary treatment unit for wastewater, which also includes natural pools and a wellness centre. Water thus emerges, simultaneously, as infrastructure, public space, energy producer, promoter of biodiversity and landscape builder. It also promotes recreation and leisure, and healthier ways of life, in direct contact with the natural environment. It is inspired by landmark works built, such as the Lagunage d'Harnes park, by François-Xavier Mousquet, or the interventions developed along watercourses and wetlands, designed by the Turenscape atelier, with the landscape architect Konjian Yu.The design intends to function as an organism, accepting the intrinsic and symbiotic connection between nature and human beings, creating an atmosphere prone to development and prosperity. The territory and the transformation of the landscape are looked at through a perceptual lens, valuing the aesthetic and sensorial experience. An architectural design attitude that unites ethics and aesthetics, and builds an ecological project that aims to be an anchor for the territory.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitetura apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: https://hdl.handle.net/10316/104706
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Maria Beatriz Vicente.pdf43.93 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

30
checked on Feb 20, 2024

Download(s)

23
checked on Feb 20, 2024

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons