Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/99495
Title: Atividade Biológica de Plantas Medicinais da Caatinga Brasileira e Correlação com a sua Composição Fenólica
Authors: Confessor, Maine Virgínia Alves 
Orientador: Conceição, Isabel Luci Pisa Mata da
Batista, Maria Teresa Pereira Marques
Keywords: Myracrodruon urundeuva; Anadenanthera colubrina; compostos fenólicos; taninos e atividade antioxidante; atividade antifúngica; atividade anti-inflamatória; Myracrodruon urundeuva; Anadenanthera colubrina; phenolic compounds; tannins; antioxidant activity; antifungal activity; anti-inflammatory activity
Issue Date: 2012
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O Brasil possui grande potencial no que concerne à biodiversidade. O bioma Caatinga representa a quarta maior área coberta por uma única forma vegetacional. Duas espécies nativas deste bioma são amplamente utilizadas como medicinais pela população local, a Myracrodruon urundeuva (Engl.) Allemão conhecida por “aroeira” e a Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan conhecida por “angico”. Estas espécies são tradicionalmente utilizadas como agentes antimicrobianos e anti-inflamatórios e também são eficientes no tratamento de outras doenças. Compostos fenólicos têm sido referenciados como possuidores de muitos efeitos terapêuticos. Vários investigadores referem as atividades destes compostos e correlacionam-os com as suas respectivas características estruturais. Neste sentido, este trabalho teve como propósito avaliar a composição fenólica dos extratos aquosos destas plantas e a correlação com as suas atividades biológicas. Os extratos foram obtidos de acordo com o seu uso popular, por decocção e maceração da casca das plantas. A caracterização fitoquímica, quantitativa e qualitativa, foi realizada, respetivamente, por métodos espectrofotométricos (para os fenóis totais e taninos) e cromatográficos (TLC, HPLC-PDA). A atividade antioxidante foi estimada por recurso a duas metodologias, DPPH e anião superóxido; a atividade antifúngica foi testada frente a três fungos dermatófitos (Epidermophyton floccosum, Trichophyton rubrum e Microsporum gypseum); enquanto a atividade anti-inflamatória foi avaliada pelo teste de Griess e a viabilidade celular foi monitorizada pelo teste do MTT. Os resultados mostraram uma melhor atividade dos extratos da M. urundeuva, nos quais estão presentes, basicamente, os mesmos compostos: ácidos fenólicos (principalmente ácido gálhico e cafeico) e taninos hidrolisáveis e condensados, que constituem os compostos fenólicos maioritários. Estes extratos mostram grande atividade sequestrante para o radical DPPH e anião superóxido; inibição do crescimento fúngico, muito significativa para o E. floccosum (MIC e MLC de 100 μg/mL) e atividade anti-inflamatória, melhor no decocto, na concentração de 100 μg/mL, sendo estas atividades registadas para concentrações destituídas de citotoxicidade. A. colubrina também é rica em taninos, essencialmente taninos condensados e, em menor quantidade, ácido gálhico e protocatéquico. Esta planta também apresentou propriedades antioxidantes, antifúngicas e anti-inflamatórias, embora inferiores à M. urundeuva. Dentre os métodos de extração, a decocção revelou melhores rendimentos e teores de fenóis totais e de taninos, bem como melhores atividades biológicas. Finalmente, a predominância de ácido cafeico, galhotaninos e elagitaninos podem justificar as melhores atividades verificadas para a M. urundeuva, uma vez que, estes compostos, especificamente os taninos hidrolisáveis são, em geral, agentes biológicos mais potentes. Do estudo realizado ressalta a importância das duas plantas estudadas na procura de novos produtos naturais biologicamente ativos e contribuição para comprovar a sua eficácia e segurança nas doenças inflamatórias e da pele, para as quais estas plantas são usadas, na medicina popular da região da Caatinga, no Brasil.
Brazil possesses a large potential in what concerns biodiversity. The Caatinga biome represents the fourth largest area covered by a single vegetation form. Two native species from this biome are widely used as medicine by local populations, Myracrodruon urundeuva (Engl.) Allemão known as “aroeira” and Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan known as “angico”. These species appear as antimicrobial and anti-inflammatory agents and are also effective on the treatment of other diseases. Phenolic compounds have been referred as possessing many therapeutic effects. Many researchers point the activities of these compounds and correlate them to their chemical structure. In this sense, this work purposed to evaluate the phenolic composition of aqueous extracts of these plants and the correlation to their biological activity. The extracts were obtained in accordance to their popular use, by decoction and maceration of the plant barks. Phytohemical characterization, quantitative and qualitative, was accomplished throughout spechtrophotometric (total phenols and tannins) and chromatographic methods (TLC, HPLC-PDA), respectively. Antioxidant activity was estimated by two methodologies, DPPH and superoxide anion; antifungal activity was tested for three dermatophyte fungi (Epidermophyton floccosum, Trichophyton rubrum and Microsporum gypseum); while anti-inflammatory activity was evaluated by Griess assay and cell viability was monitored by the MTT test. The results showed a better activity of M.urundeuva extracts, in which, basically, the same compounds are present: phenolic acids (mainly gallic and caffeic acid) and hydrolysable and condensed tannins, which constitute the major phenolic compounds. These extracts showed high sequestrant activity against the DPPH radical and superoxide anion; a strong fungal growth inhibition to E. floccosum (MIC e MLC de 100 μg/mL); anti-inflammatory activity, which was better in the decoct at the 100 μg/mL concentration. These activities were verified for concentrations without cytotoxicity. A. colubrina is also rich in tannins, essencially condensed tannins and, in a less amount, gallic and protocatechuic acid. This plant also showed antioxidant, antifungal and anti-inflammatory properties, although lower than M. urundeuva. Among the extractions methods, the decoction revealed a better yield and total phenols and tannins, as well as better biological activities. Finally, the predominance of caffeic acid, gallotannins and elagitannins may justify the relatively better activity verified to M. urundeuva once, these compounds, specifically the hydrolysable tannins are, in general, more powerful biological agents. This work highlight the importance of these two plants in the search for new natural biological active products and to the contribution it gave to prove the effectiveness and safety in inflammatory and skin diseases, for which these plants are used, in popular medicine in Caatinga area, Brazil.
Description: Dissertação de Mestrado em Biologia apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
URI: https://hdl.handle.net/10316/99495
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

231
checked on May 22, 2024

Download(s)

177
checked on May 22, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.