Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/88779
Title: Para estar em guerra é preciso ir à guerra? Moçambique e Timor-Leste: nacionalismos, mulheres e violência sexual
Authors: Cunha, Teresa 
Issue Date: Jan-2012
Publisher: Centro de Estudos Sociais/NHUMEP
Serial title, monograph or event: P@X: boletim online
Issue: 18
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Na segunda metade do século XX, Moçambique viveu em guerra entre os anos de 1964 e 1992 com um curta interrupção entre 1975 e 1976 e Timor-Leste sofreu uma guerra com ocupação militar entre 1975 e 1999. Tanto num país como no outro, estas guerras têm sido percebidas e narradas como feitos dos guerrilheiros, dos heróis, dos combatentes e da sua força nas frentes de batalha, ainda que alimentados e apoiados pelos seus povos através de todas as retaguardas possíveis. Os sofrimentos destas guerras são sobretudo entendidos como coisas viris daqueles que foram à guerra e, desse modo, são também discursos acerca da valentia máscula dos filhos da nação. Às mulheres e àqueles que, como elas, estando em guerra não foram à guerra reservam-se as discretas memórias sobre algumas das amarguras morais e os padecimentos inevitáveis, mas subsidiários, que os desígnios bélicos da independência a todas e todos impuseram.
URI: http://hdl.handle.net/10316/88779
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CES - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Para estar em guerra e preciso ir a guerra.pdf141.62 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

35
checked on Jun 1, 2020

Download(s)

6
checked on Jun 1, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.