Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/87635
Title: Efeito de métodos de oclusão vascular periférica associados ao treino de baixa resistência na força muscular de mulheres idosas
Authors: Letieri, Rubens Vinícius
Orientador: Teixeira, Ana
Gomes, Beatriz
Keywords: treino de oclusão; adultos idosos; torque isocinético
Issue Date: 18-Feb-2019
Abstract: O objetivo deste estudo foi comparar o efeito de 16 semanas de treinamento de resistência com restrição de fluxo sanguíneos utilizando diferentes pressões, seguidas de 6 semanas de destreino na força muscular de mulheres idosas. Métodos: Este ensaio clínico randomizado incluiu 56 mulheres ativas recreacionais (68,0 ± 5,09 anos), alocadas em 5 grupos: 1) baixa intensidade com restrição de fluxo sanguíneo 1 (LI+BFR1): pressão de oclusão baseada na circunferência de membros, pressão arterial sistólica e diastólica (185,75 ± 5,45 mmHg), 2) baixa intensidade com restrição de fluxo sanguíneo 2 (LI+BFR2): 80% da oclusão arterial (105,45 ± 6,5 mmHg), 3) alta intensidade sem oclusão (HI), 4) baixa intensidade sem oclusão (LI), e 5) Grupo Controle (CON). As participantes completaram 16 semanas de treinamento de resistência e 6 de destreino. O Pico de torque isocinético (N.m) de extensão (PTRE/PTLE) e flexão de coxa direita e esquerda (PTRF/PTLF) foi mensurado no pré-treino, pós-treino e imediatamente após o destreino. Resultados: foram observados aumentos na força nos grupos LI+BFR1, LI+BRF2 e HI no pós-treino comparados ao pré-treino no PTRE (Δ%=27,20, 15.75 e 13.81%, p<.05, respetivamente), PTLE (Δ%=36,70, 22,79 e 34,97%, p<.05, respetivamente) e PTLF (Δ%=35,80, 24,93 e 26,14%, p<.05, respetivamente). Após o destreino, os grupos LI+BFR1, LI+BFR2 e HI tiveram redução na força, mas os valores mantiveram-se acima dos níveis do pré-treino. Conclusão: O exercício de baixa intensidade com restrição de fluxo sanguíneo aumenta a força muscular em mulheres idosas similarmente ao treino de alta intensidade tradicional, especialmente quando maiores pressões de oclusão são utilizadas. A força muscular foi bem preservada após o destreino de 6 semanas no grupo de alta intensidade de exercício e no de baixa intensidade e maior pressão de oclusão, e apesar das reduções observadas, alguma preservação da força poderá ser explicada pelas adaptações neurais ao exercício. ABSTRACT Objective: The objective of this study was to compare the effect of 16 weeks of resistance training using different occlusion pressures, followed by 6 weeks of detraining on the muscular strength levels of older women. Methods: This randomized - controlled trial included 56 recreationally active women (68.8 ± 5.09 years), randomized int o 5 groups: 1) Low - intensity with blood flow restriction 1 (LI + BFR1): occlusion pressure based on limb circumference, systolic and diastolic blood pressure (185,75 ± 5,45 mmHg), 2) Low - intensity with blood flow restriction 2 (LI+BFR2): 80% of arterial oc clusion (105,45 ± 6,5 mmHg), 3) High - intensity without occlusion (HI), 4) Low - intensity without occlusion (LI), and 5) Control Group (CG). Participants completed 16 weeks of resistance exercise training, followed by a 6 - week detraining period. Maximal isok inetic torque (N.m) of right and left knee extension (PTRE/PTLE) and flexion (PTRF/PTLF) was measured at pre - training, post - training and immediately following the detraining period. Results: Increased strength was observed in the LI+BFR1, LI+BRF2 and HI gr oups post - training compared to baseline in the PTRE ( Δ %=27.2, 15.75 and 13.81%, p <.05, respectively), PTLE ( Δ % PTRF ( Δ %=36.7, 22.79 and 34.97%, p <.05, respectively) and PTLF ( Δ % = 35.8, 24.93 and 26.14%, p <.05, respectively). Following the detraining pe riod, the LI+BFR1, LI+BFR2 and HI groups had a decrease in strength levels, but values did not decrease below baseline level. Conclusion: Low intensity BFR resistance exercise training increases muscle strength in older women similar to HI training, especi ally with higher occlusion pressures. Muscle strength was well preserved following a 6 - week detraining period in the high - intensity exercising group and the low intensity higher occlusion pressure exercising group, and although reductions were observed, so me preservation of strength could be explained by possible neural adaptations to exercise.
Description: Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto, no ramo de Atividade Física e Saúde, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/87635
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

212
checked on Jun 8, 2021

Download(s)

14
checked on Jun 8, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.