Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/87492
Title: Travestis brasileiras no sul da Europa: subalternidade e reconhecimento nas fronteiras do gênero e sexualidade
Authors: Belizário, Fernanda Branco
Orientador: Santos, Ana Cristina
Martins, Catarina Isabel Caldeira
Keywords: Travesti; Queer; Pós-colonialismo; Transgénero; Migrações Queer
Issue Date: 25-Jan-2019
Project: info:eu-repo/grantAgreement/FCT/PD/PD/BD/52257/2013/PT 
Abstract: O objetivo desta tese é produzir um diálogo entre os estudos pós-coloniais e a teoria queer de modo que tornem visíveis as experiências das travestis brasileiras trabalhadoras do sexo que emigram para a península Ibérica. Travesti é uma identidade de gênero dissidente e não-ocidental dentro do espectro transgênero, reconhecidamente encontrada no território latino-americano. Diferentemente da transexualidade, sua especificidade se dá a partir de um encontro violento com a sociedade cisheteronormativa. A circulação de travestis no trabalho sexual – aqui entendido como ocupação profissional, um espaço de reconhecimento e, muitas vezes, de experiências positivas – conforma um campo compartilhado de valores, hierarquias e pertenças nomeado na literatura como “campo das travestilidades”. Neste campo, a construção do corpo, as possibilidades de ganhos profissionais e reconhecimento social fora dos espaços tradicionais de circulação travesti são amalgamados a partir de visões de mundo que têm na figura da europeia (termo êmico que designa as travestis que emigraram para a Europa por um curto ou longo período) uma posição de grande prestígio. Parto do conceito de migrações travestis para observar os percursos simbólicos, corporais, territoriais e sociais dessas mulheres, com base em um trabalho de campo que envolveu pesquisa biográfica baseada em histórias de vida e observação da atividade profissional das travestis em contexto de interior e exterior nas cidades de Barcelona e arredores e diversas cidades do norte e centro de Portugal, além da cidade do Porto. A partir do movimento de partidas e chegadas, esta tese articula as vivências das travestis a partir das macronarrativas e fronteiras que as tornam hipervisíveis e invisíveis tanto na literatura acadêmica, no trabalho sexual e no ativismo trans. Ao mesmo tempo, percebe como articulam seus próprios espaços de enunciação e re-existência a esses discursos que as relegam ao espaço do abjeto, a partir de estratégias que nomeei como auto-etnográficas. Portanto, caracterizo as travestis como sujeitas queer pós-coloniais pela maneira como buscam alargar a compreensão do gênero para além da cisheteronormatividade por meio de lógicas subalternas de re-existência e a forma com que negociam valores e pertenças próprios da modernidade eurocentrada a partir de suas condições materiais e simbólicas de existência.
The thesis aims to produce a dialogue between postcolonial stu dies and queer theory in order to make visible the experiences of Brazilian sex workers travestis who emigrate to the Iberian Peninsula. Travesti is a non - Western dissident gender identity w ithin the transgender spectrum recognized throu ghout Latin America. Unlike transsexuality, their identity is constructed upon a violent encounter with the cis - heteronormative norms of society. The displacements of travestis who are in the sex work industry – understood as professional occupation, a space of recogni tion and often positive experiences – signalize a shared field of values, hierarchies and belongings named in the literature as "field of travestilities" . The construction of the body, the earned incomes and social recognition outside the traditional spac es of their circulation are amalgamated in worldviews that have in the European figure (an emic term that refers to travestis who emigrated to Europe for a short or long period of time ) a position of great prestige. I depart from the concept of “travesti m igrations” to observe the symbolic, corporal, territorial and social displacements of these women based on a field work that involved biographical research based on life histories and observation of the ir professional activity in the cities of Barce lona and its surroundings and several cities of the north and center of Portugal, besides the city of Porto. From the fieldwork, this thesis organizes: the motivations to emigrate, the issues involved in the international transit of sex workers and the way they organize their lives and their displacements in Europe. From this movement of departures and arrivals, this thesis articulates the experiences of travestis from the macronarratives and borders that make them simultaneously hypervisible and invisibl e in academic literature, sex work and trans activism. At the same time, enacting auto - ethnographic strategies they articulate their own spaces of enunciation and re - existence to these discourses that relegate them to the space of the abject. Therefore, I characterize travestis as post - colonial subjects given that they seek to broaden the understanding of gender beyond cis - heteronormativity by subaltern logics of re - existence and how they negotiate values and belonging in this fractured locus from where travestis elaborate their material and symbolical means of e xistence.
Description: Tese de Doutoramento em Pós-Colonialismo e Cidadania Global, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/87492
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:I&D CES - Teses de Doutoramento
FEUC- Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Travestis brasileiras no sul da Europa.pdf7.3 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

134
checked on Jun 3, 2020

Download(s)

8
checked on Jun 3, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.