Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/86307
Title: Advanced Maternal Age: Adverse Outcomes of Pregnancy, A Meta-Analysis
Other Titles: Idade Materna Avançada: Desfechos Adversos da Gravidez, Uma Meta-Análise
Authors: Pinheiro, Rosa Lomelino 
Areia, Ana Luísa 
Mota Pinto, Anabela 
Donato, Helena 
Keywords: Maternal Age/Idade materna; Pregnancy Complications/Complicações na gravidez; Pregnancy Outcome/Resultado da gravidez
Issue Date: 29-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Acta Médica Portuguesa
Volume: 32
Issue: 3
Abstract: The risks of pregnancy in women of advanced maternal age are not consensual amongst studies. The aim of this metaanalysis  was to determine whether women of advanced maternal age (≥ 35 years old) had worse obstetrical and perinatal outcomes than non- advanced maternal age women (20 - 34 years old) in singleton, naturally-conceived pregnancies.Material and Methods: We searched PubMed/ MEDLINE, IndexRMP and the Cochrane Database of Systematic Reviews. Ten studies were included according to the following criteria: population of > 1000 nulliparous and/or multiparous women with singleton gestations who did not undergo any type of infertility treatment. Using Review Manager v. 5.3, two meta-analysis were performed: one comparing the outcomes of 20 - 34-year-old vs 35 - 40-year-old women, and another comparing the outcomes of 35 - 40-year-old women vs > 40-year-old women. Results: Women aged 35 - 40 years old were more likely to have > 12 years of education than 20 - 34 years old and > 40 years old women. Advanced maternal age women (35 - 40 and > 40 years old) were more likely to be overweight and having gestational diabetes and gestational hypertension. They were also more likely to undergo induced labour and elective caesarean deliveries. Furthermore, they had worse perinatal outcomes such as preterm delivery, low birthweight babies, higher rates of Neonatal Intensive Care Unit admission and worse Apgar scores. Advanced maternal age women had higher rates of perinatal mortality and stillbirth. Discussion: Most authors present similar results to our study. Although the majority of adverse outcomes can be explained through the physio-pathological changes regarding the female reproductive apparatus that come with aging and its inherent comorbidities, according to the existing literature advanced maternal age can be an independent risk factor per se. In older pregnant women without comorbidities such as gestational hypertension or diabetes there are still worse obstetric and perinatal outcomes, which indicate that advanced maternal age is an independent strong risk factor alone. Conclusion: Advanced maternal age women are at a higher risk of adverse obstetrical and perinatal outcomes. In both comparisons, worse outcomes were more prevalent in the older group, suggesting that poorer outcomes are more prevalent with increasing age.
Introdução: Não há consenso na literatura sobre os riscos da gravidez em mulheres com idade materna avançada. O objetivo desta meta-análise consistiu em determinar se as mulheres com idade materna avançada (≥ 35) tiveram piores desfechos obstétricos e perinatais, comparativamente com as mulheres não-idade materna avançada (20 - 34 anos), em gestações de feto único e por conceção natural. Material e Métodos: A pesquisa bibliográfica foi feita na PubMed/MEDLINE, IndexRMP e na Cochrane Database of Systematic Reviews. Foram incluídos dez estudos segundo os seguintes critérios: população-estudo > 1000 mulheres, nulíparas e/ou multíparas, com gestações de feto único sem recurso a tecnologias de reprodução medicamente assistida. Duas meta-análises foram feitas com o programa Review Manager v. 5.3: uma comparando os desfechos da gravidez do grupo 20 - 34 anos com o grupo 35 - 40 anos e outra comparando os grupos de idades 35 - 40 e > 40 anos. Resultados: As mulheres com 35 - 40 anos tiveram mais probabilidade de ter > 12 anos de escolaridade, comparativamente ao grupo 20 - 34 e > 40 anos. Mulheres com idade materna avançada (35 - 40 e > 40 anos) tiveram maior probabilidade de ter excesso de peso e comorbilidades como diabetes gestacional e hipertensão gestacional. Tiveram também maior frequência de partos induzidos e de cesarianas eletivas. As mulheres mais velhas tiveram mais partos pré-termo e recém-nascidos com baixo peso. Os bebés das mães com idade materna avançada foram mais vezes admitidos na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais e tiveram piores índices de Apgar. De igual forma, as mulheres com idade materna avançada tiveram maiores taxas de mortalidade perinatal e morte in utero. Discussão: A maioria dos autores descreve resultados semelhantes àqueles que estão descritos na meta-análise. Embora os resultados desfavoráveis sejam em grande parte explicados pela fisiopatologia do envelhecimento do sistema reprodutor da mulher e comorbilidades inerentes ao avançar da idade, a bibliografia admite a idade materna avançada um fator de risco per se. Mesmo em mulheres com idade materna avançada sem comorbilidades como diabetes ou hipertensão gestacional, esta acaba por ser um fator de risco independente e significativo para desfechos adversos. Conclusão: Mulheres com idade materna avançada têm um maior risco de desfechos obstétricos e perinatais adversos. Em ambas as comparações os piores desfechos foram mais prevalentes no grupo de mulheres com maior idade, sugerindo maior expressão com o avançar da idade.
URI: http://hdl.handle.net/10316/86307
ISSN: 1646-0758
DOI: 10.20344/amp.11057
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Idade Materna Avançada AMP 2019.pdf488.54 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

SCOPUSTM   
Citations

8
checked on May 29, 2020

WEB OF SCIENCETM
Citations 5

29
checked on Jun 2, 2021

Page view(s) 50

596
checked on Jun 10, 2021

Download(s) 50

340
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Altmetric


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.