Title: Imagens do Deslocamento
Authors: Chiga, Marcia Cristina Vaitsman 
Keywords: Caosmose;Vídeo;Identidade;Multiculturalismo;Chaosmosis;Identity;Video;Multiculturalism
Issue Date: 18-Dec-2017
Publisher: [s.n.]
Citation: CHIGA, Marcia Cristina Vaitsman - Imagens do Deslocamento. Coimbra : [s.n.], 2017. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/80768
Abstract: Investigação das imagens de trânsito da obra da artista brasileira Marcia Vaitsman, a partir de uma abordagem ampla do conceito de imagem, como artefato e como modos de subjetivação físico e imaterial. Consta de três partes: Dos Saberes, apresentando conceitos que sustentam um olhar contemporâneo, a construção do corpo em trânsito e sob efeito da aceleração dos avanços tecnológicos, a concepção de espaços e tempos compartilhados, híbridos e caósmicos. Da Imaginação, descreve processos de criação, obras feitas entre 1995 e 2017, em grande parte autorreferenciais, e reflexões da artista, que abordam principalmente a migração, a miscigenação e a desorientação. Localiza também um tipo de imortalidade da artista na própria obra. Do Entendimento, a partir do estudo, como estímulo e confrontação, das obras da artista nipo-americana Ruth Asawa, da artista alemã venezuelana Gego e da artista portuguesa Luisa Correia Pereira, mostra um laboratório da subjetividade, uma busca de uma localização descolonizada de práticas e pensamentos relacionais, numa possível ética-estética da impermanência, ou um laboratório ectoplasmático com chão quebradiço. Esta é uma aproximação em forma de texto de processos de pensamento que acontecem dentro do estúdio de uma artista que trabalha com o vídeo, fotografia, imagens em movimento e com jogos, sem remediar as vulnerabilidades, bestialidades e estranhamentos no que diz respeito a origens, crenças e gêneros diversos. É um pensamento artístico de descolonização e deseducação do olhar, voltado para um humanismo mais acolhedor das singularidades, que consiga lidar com a velocidade das mudanças de hoje.
This thesis is an inquiry into images of transit found in the work made by the Brazilian artist Marcia Vaitsman, approaching a larger concept of image, not only as a cultural artifact but also, as physical and immaterial subjective modes. It consists of three parts: From Knowledge, presenting concepts that support a contemporary point of reference, the construction of the body in conditions of transit and effects of accelerated change due to technological advances, the conception of shared spaces and times, hybrids and cosmic; From Imagination, describes processes of making, works from 1995 to 2017 and reflections of the artist, which address migration, miscegenation and disorientation. It also points to a type of immortality of the artist resulting from the act of making. From Uptake, the study, as a stimulus and a confrontation, of the works made by the Japanese American artist Ruth Asawa, by the German Venezuelan artist Gego and the Portuguese artist Luisa Correia Pereira, resulted in a laboratory of subjectivity, a search for decolonized practices and relational thoughts, a possible ethics-aesthetic of impermanence and an ectoplasmic laboratory with breakable floor. This is a text-based approximation of thinking processes that take place within the studio of an artist who works with video, photography, moving images and games, without remedying the vulnerabilities, bestialities, and strangeness regarding origins, beliefs, and genres. It is an artistic thought of decolonization and diseducation of the gaze, wishing a different type of humanism, which includes singularities and is equipped to deal with the speed of the changes of today.
Description: Tese de doutoramento em Arte Contemporânea, apresentada ao Colégio das Artes da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/80768
Rights: openAccess
Appears in Collections:Colégio das Artes - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Imagens do Deslocamento_Marcia Cristina Vaitsman Chiga.pdf338.08 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons