Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/79673
Title: Vitamina D e esclerose múltipla: uma relação de esperança?
Authors: Fernandes, Joana Pinto 
Orientador: Costa, Saul Campos Pereira da
Keywords: Vitamina D; Esclerose múltipla
Issue Date: Jul-2014
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença inflamatória crónica auto-imune que afecta o SNC e que se caracteriza pela progressiva destruição da mielina e dos axónios. Esta doença incide sobretudo em jovens adultos, com idades entre os 15 e os 40 anos. Apesar de os factores genéticos serem determinantes na maioria dos casos, só a combinação com outros factores de risco favorece o desenvolvimento da doença. Os factores ambientais envolvidos no despontar da doença, nomeadamente a deficiência de vitamina D, têm sido alvo de pesquisa nos últimos anos. Verificou-se a existência de um gradiente geográfico do número de casos que aumenta à medida que a distância ao equador aumenta, isto é, a incidência aumenta com a latitude. Uma explicação para esta situação é a incidência de radiação que é menor em países mais afastados do equador. O sol é a principal fonte de produção de vitamina D, portanto, quanto menor a incidência de radiação UV menor a síntese de vitamina D no organismo. De facto, a maioria dos doentes com EM apresenta níveis séricos de vitamina D baixos o que constitui uma evidência de que a deficiência de vitamina D é um factor de risco para o desenvolvimento da doença. A partir destes factos coloca-se a possibilidade de tratamento e/ou prevenção de doentes com suplementos de vitamina D em doses elevadas.
Multiple Sclerosis (MS) is an autoimmune chronic inflammatory disease of the central nervous system and is characterized by progressive destruction of myelin and axons. This disease occurs mainly in young adults, aged between 15 and 40 years. Although the genetic factors importance, in most of cases only the combination with other risk factors favor the development of the disease. Environmental factors involved in the wake of the disease, including vitamin D deficiency, have been subject of research in recent years. It has been found that there is a geographic gradient in the number of cases that increase as the distance from the equator increases, that means the incidence increases with the latitude. One explanation for this is the effect of lower radiation incidence in countries furthest from the equator. The sun is the major source of vitamin D production, therefore, the lower incidence of UV radiation leads to a reduct vitamin D synthesis in the body. In fact, the majority of MS patients have low serum vitamin D which is an evidence that vitamin D deficiency is a risk factor for disease development. From these facts there is the possibility of treatment and / or prevention of patients with vitamin D supplements in high doses.
Description: Monografia realizada no âmbito da unidade de Estágio Curricular do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/79673
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
M_joana fernandes.pdf1.19 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

225
checked on Dec 4, 2019

Download(s) 50

500
checked on Dec 4, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.