Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/585
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCardoso, José Maria Pedrosa de Abreu-
dc.date.accessioned2008-12-05T15:02:29Z-
dc.date.available2008-12-05T15:02:29Z-
dc.date.issued1998-10-28en_US
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/585-
dc.descriptionTese de doutoramento em Letras, na área de Ciências Musicais (Ciências Musicais Históricas) apresentada à Fac. de Letras da Univ. de Coimbra-
dc.description.abstractO Ms SL 11-2-4 da Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento de Guimarães e o MM 56 da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra contêm a mesmo modelo musical para o canto litúrgico da Paixão: monodia para as Paixões de Mt, Mc, Lc e Jo e nove versos polifónicos a três vozes (seis com palavras de Cristo e três com palavras do Texto) das Paixões de Mt e Jo. Ambos os Mss foram copiados no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra no último quartel do século XVI e não ostentam autoria. Para se compreender o conteúdo destes códices, estudou-se a origem da Paixão como forma litúrgica e musical, expondo-se o seu enquadramento ritual dentro da Liturgia católica da Semana Santa, através das normas do Ceremoniale Episcoporum e dos principais cerimoniais portugueses dos séculos XVI-XVIII. Verificando-se que o tonus passionis dos Mss de Guimarães e Coimbra é essencialmente igual ao de outros Passionários portugueses dos séculos XVI e XVII, de que se conhecem hoje quatro impressos e quatro manuscritos, constata-se, a partir dos estudos dos melhores especialistas da matéria, que o modelo melódico tradicional português é diferente de qualquer dos modelos conhecidos na Europa coetânea, constituindo uma tradição autónoma e unitária desde os finais da Idade Média até, pelos menos, 1732, ano em que se publica em Lisboa um Passionário com o mrDelo romano, segundo a versão quinhentista de G. Guidetti. É sobre aquele modelo tradicional que os compositores portugueses dos séculos XVI e XVII escreveram versões variadas de paixões polifónicas. Estas, em número de 166, foram inventariadas nos principais arquivos de música portugueses, desde o Minho ao Algarve, estabelecendo-se uma tipologia característica de acordo com os espécimes e a própria tradição portuguesa: Texto da Paixão, Versos da Paixão (Ditos vários e Ditos de Cristo) e Bradados da Paixão (Bradados integrais e Turbas). O trabalho termina com um estudo aprofundado da tradição da música da Paixão no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, no qual se contempla uma prática característica da monodia tradicional portuguesa com especial ênfase, rítmica e melódica, em determinados versos da Paixão e, sobretudo, a versão polifónica de todos os versos polifónicos dos Mss de Guimarães e Coimbra. Em apêndice apresenta-se a transcrição moderna completa de todos estes versos polifónicos bem como uma transcrição parcial dos principais Mss portugueses inventariados neste trabalho.en_US
dc.language.isoporpor
dc.rightsembargoedAccesseng
dc.subjectCiências Musicais Históricasen_US
dc.subjectMúsica litúrgica -- passionários polifónicos -- Portugal -- séc.16-17-
dc.titleO canto litúrgico da Paixão em Portugal nos séculos XVI e XVII : os Passionários Polifónicos de Guimarães e Coimbraen_US
dc.title.alternativeThe liturgical singing of the passion in sixteenth-and seventeenth-century Portugal : the Guimarães and Coimbra polyphonic passionariesen
dc.typedoctoralThesisen_US
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
Appears in Collections:FLUC Secção de Artes - Teses de Doutoramento
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s)

155
checked on Sep 17, 2019

Download(s)

28
checked on Sep 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.