Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/48240
Title: Automedicação: impacto na saúde pública e individual
Authors: Silva, Fernando Venâncio Lopes da 
Orientador: Pita, João Rui Couto Rocha
Keywords: Automedicação; Ética; Saúde pública; Farmacêuticos; Farmácias
Issue Date: Jul-2016
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A automedicação é um hábito comum nas sociedades modernas. A população quer ter um papel determinante no tratamento das suas patologias e na gestão da sua saúde e bem-estar. Atualmente sua prevalência depende de vários fatores sociais e económicos, como a literacia da população, os regimes governamentais e a existência e disponibilidade de infraestruturas e recursos promotores de saúde e bem-estar. O mercado de MNSRM e suplementos alimentares encontra-se atualmente em franco crescimento. Tal evolução do mercado de OTC’S deve-se muito ao fomento das práticas da automedicação por parte de entidades governamentais e não-governamentais como a OMS e a indústria farmacêutica. A venda de medicamentos sem vigilância profissional, bem como a liberalização do mercado dos MNSRM têm obviamente impacto na saúde pública e individual. Podendo levar, teoricamente, à poupança de recursos públicos para com a saúde bem como um acesso mais rápido a cuidados de saúde. No entanto o consumo de produtos medicinais sem vigilância médica ou farmacêutica pode conduzir ao aparecimento de efeitos secundários ou inesperados evitáveis, bem como poderá ter acelerado o aparecimento de resistências microbianas. Uma postura responsável vinda das farmácias e dos farmacêuticos é fundamental, de forma a condicionar a evolução dos hábitos de automedicação, permitindo que esta se torne um hábito saudável e responsável. Promovendo assim a sua prática com elevados níveis de eficácia, segurança e qualidade.
Self-medication is a common habit in modern societies. The population wants to have a leading role in the treatment of their disease and to manage their health and wellness. Currently its prevalence depends on various social and economic factors such as literacy of the population, government schemes and the existence and availability of infrastructure and health-promoting resources and welfare. The MNSRM market and food supplements currently lie in rapidly growing. This evolution of the OTC market's owes much to the promotion of self-medication practices by governmental and non - governmental organizations like the WHO and the pharmaceutical industry. The sale of drugs without professional supervision, as well as the liberalization of the MNSRM obviously has an impact on public and individual health. May lead theoretically to saving public resources for health, as well as faster access to health care. However the consumption of medicinal or pharmaceutical products without medical supervision can lead to the appearance of unexpected side effects and unnecessary and may have accelerated the onset of microbial resistance. A responsible attitude coming of pharmacies and pharmacists is essential in order to condition the evolution of self-medication habits, allowing it to become a healthy and responsible habit. Thus promoting your practice with high levels of efficiency , safety and quality.
Description: Monografia realizada no âmbito da unidade de Estágio Curricular do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/48240
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
M_Fernando Silva.pdf1.72 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

867
checked on Mar 31, 2020

Download(s) 1

12,627
checked on Mar 31, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.