Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/47533
Title: Avaliação Psicológica de Condutores Idosos: Validade de Testes Neurocognitivos no Desempenho de Condução Automóvel
Authors: Saraiva Ferreira, Inês 
Orientador: Simões, Mário
Keywords: avaliação psicológica; testes neurocognitivos; adultos idosos; condução automóvel; aptidão psicológica; modelos de previsão; linhas de orientação prática
Issue Date: 8-Feb-2013
Project: info:eu-repo/grantAgreement/FCT/SFRH/SFRH/BD/27255/2006/PT 
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A avaliação psicológica de condutores idosos constitui um tema atual e de relevância crescente em Saúde Pública. O envelhecimento da população mundial e o aumento previsível do número de condutores idosos com alterações neuropsicológicas associadas à idade ou a condições médicas específicas (como doenças cerebrovasculares e neurodegenerativas) determinam a necessidade de instrumentos e protocolos de avaliação psicológica válidos, que permitam a identificação de condutores com diminuição da capacidade de condução e maior risco de acidente de viação. No âmbito da investigação científica atual, não existe um consenso sobre testes de cariz neuropsicológico indicados para a população de condutores idosos. Em Portugal, não são igualmente conhecidas publicações com dados de investigação teórica ou empírica sobre a validade de protocolos de avaliação e testes psicológicos para condutores. A presente dissertação apresenta investigações orientadas para o exame da validade de protocolos de avaliação e testes neurocognitivos em relação a medidas de desempenho de condução em adultos idosos. Para compreender esta finalidade, foram organizados diversos Estudos quer de âmbito teórico (Estudos I, II e III), quer de natureza empírica (Estudos IV, V, VI e VII). O Estudo I documenta a utilidade de testes neurocognitivos no exame clínico de condutores com doença neurológica e psiquiátrica, e fundamenta a necessidade de articulação de resultados da avaliação médica e da avaliação psicológica para a condução. O Estudo II identifica um conjunto de testes neuropsicológicos com valor preditivo em relação a medidas de desempenho de condução automóvel em adultos idosos, e sinaliza a necessidade de investigações portuguesas neste domínio específico de Avaliação Psicológica. O Estudo III elabora uma recensão crítica sobre a legislação portuguesa mais recente no âmbito da avaliação psicológica de condutores, e procura desenvolver linhas de orientação prática para processos de exame em adultos idosos. No âmbito dos estudos empíricos, o Estudo IV analisa preditores cognitivos de um maior risco de dificuldades de condução auto-reportadas numa amostra de adultos idosos. Os resultados indicam o poder preditivo de testes cognitivos específicos que examinam a atenção visual dividida e o funcionamento executivo, e da variável género, e impulsionam uma análise crítica do valor do auto-relato no âmbito da avaliação de condutores. O Estudo V identifica testes e domínios cognitivos com maior significância na discriminação de dois grupos de resultados numa grelha de observação de comportamentos de condução em contexto real de trânsito. Os condutores idosos com pior desempenho na condução obtiveram resultados significativamente inferiores em testes que examinam, de modo particular, as capacidades visuo-espaciais, a atenção visual dividida, as funções executivas e os tempos de reação complexa, corroborando domínios neurofuncionais que determinam a proficiência de condução automóvel. O Estudo VI investiga a validade preditiva da versão portuguesa do ACE-R e, secundariamente, indicadores de fiabilidade da grelha de observação de comportamentos de condução. A cotação ACE–R evidenciou uma eficiência classificatória superior à cotação MMSE, em particular na deteção de condutores inaptos, sugerindo o valor potencial de um instrumento breve de avaliação cognitiva em processos de exame de aptidão para a condução em idosos. Adicionalmente, o estudo relativo ao acordo entre-observadores da grelha de condução indicou valores de fiabilidade elevada e sugere a utilidade de inclusão deste instrumento nos protocolos de avaliação que incorporem um exame de condução real. O Estudo VII analisa a validade preditiva de um conjunto de testes cognitivos e psicomotores em relação ao desempenho de condução real. Os testes de tempos de reação de escolha e complexa constituíram os preditores significativos numa bateria informatizada de uso corrente em Portugal em avaliação psicológica de condutores idosos. Adicionalmente, provas específicas que examinam a atenção visual dividida, as capacidades visuo-espaciais e o funcionamento executivo demonstraram valor específico e incremental em relação aos testes de tempos de reação. Os resultados permitiram identificar a utilidade de testes neurocognitivos na previsão do desempenho de condução em adultos idosos, e a necessidade de aperfeiçoar a metodologia de avaliação psicológica de condutores em Portugal.
URI: http://hdl.handle.net/10316/47533
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CINEICC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE.pdf3.78 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

157
checked on Sep 10, 2019

Download(s) 20

632
checked on Sep 10, 2019

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons