Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/46756
Title: Memória e envelhecimento: Qual o real impacto da idade?
Other Titles: Memory and aging: What is the real impact of age?
Authors: Espírito Santo, Helena 
Pena, Inês 
Garcia, Inês 
Couto, Margarida 
Daniel, Fernanda 
Keywords: Envelhecimento; Memória; Institucionalização; Características sociodemográficas; Psychology
Issue Date: Sep-2016
Publisher: Departamento de Investigação & Desenvolvimento
Citation: Espirito-Santo, H., Pena, I., Garcia, I., Pires, C., Couto, M., & Daniel, F. (2016). Memória e envelhecimento: Qual o real impacto da idade? Revista Portuguesa de Investigação Comportamental e Social, 2(2), 41-54. doi:10.7342/ismt.rpics.2016.2.2.40
Series/Report no.: Revista Portuguesa de Investigação Comportamental e Social;
Volume: 2(2)
Abstract: Objetivos. O défice mnésico é uma das alterações cognitivas que mais afeta as pessoas idosas. A idade é considerada um dos fatores de relevo nas alterações de memória, inclusivamente pelas próprias pessoas idosas. A investigação tem mostrado que existem outros fatores além da idade que afetam a memória das pessoas idosas. Contudo, fica por esclarecer qual o real papel da idade sobre a memória quando é controlada a influência de outras variáveis. Assim, o presente estudo pretende analisar o impacto da idade no funcionamento mnésico de pessoas idosas e verificar se, ao controlar o papel de outras variáveis (sexo, escolaridade, profissão, situação civil, situação residencial e situação clínica), esse potencial impacto se mantém. Métodos. A amostra global foi constituída por 1126 participantes (283 homens e 843 mulheres; 226 residentes na comunidade e 900 em resposta social dirigida à população idosa) com idades compreendidas entre os 60 e os 100 anos. A avaliação foi realizada com recurso aos itens do Mini-Mental State Examination (memória de trabalho), o fator do Montreal Cognitive Assessment (memória declarativa verbal) e Figura Complexa de Rey-Osterrieth (memória visuoespacial). Resultados. Globalmente, a idade, escolaridade, profissão, situação civil, residencial e clínica influenciaram a memória de forma diferenciada consoante o tipo de memória. As análises de regressão hierárquica mostraram que a idade é um fator preditivo em todos os tipos de memória. Emergiram ainda outros fatores preditivos com coeficientes de regressão superiores à idade conforme o tipo de memória (exceto na memória de trabalho). Conclusões. A idade, a escolaridade e a profissão influenciam a memória, assim como os fatores que potencialmente estimulam cognitiva e socialmente (como ter um companheiro e residir na comunidade). Os resultados apontam para a importância de intervir em pessoas em respostas sociais, mais idosas, sem companheiro, com baixa escolaridade e profissão manual.
Goals. Memory impairment is one of the types of cognitive impairment that most affects the elderly. Age is considered one of the major factors in memory impairment, including by the elderly themselves. Research has shown that there are other factors affecting memory of elderly persons. It remains, however, unclear what is the real impact of age in memory when controlling the influence of other variables. Thus, this study aims to analyze the impact of age on memory functioning of elderly persons and check if the potential impact remains when controlling the role of other variables (sex, education, profession, marital status, residential status, and clinical situation). Methods. The global sample comprised 1126 subjects (283 men and 843 women, 226 residents in the community and 900 institutionalized elderly) aged from 60 to 100 years. The assessment included items from the Mini-Mental State Examination (working memory), the Montreal Cognitive Assessment factor (verbal declarative memory), and Rey-Osterrieth Complex Figure (visuospatial memory). Results. Overall, age, education, profession, marital, residential, and clinical condition have differently influenced memory, depending on the type of memory. The hierarchical regression analysis showed that age is a predictive factor in all types of memory. However, other predictors have emerged with higher regression coefficients compared to age, according to the type of memory (except in working memory). Conclusions. Age, education and profession influence memory, as well as factors that potentially stimulate cognitively and socially (like having a partner and living in the community). The results indicate the importance of intervening, especially among institutionalized elderly, older, unmarried, with low education, and manual profession.
URI: http://hdl.handle.net/10316/46756
DOI: 10.7342/ismt.rpics.2016.2.2.40
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CINEICC - Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat
RPICS_vol2_2_2016_4_MEMO.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

485
checked on Oct 16, 2019

Download(s) 50

204
checked on Oct 16, 2019

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Dimensions


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons