Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/44251
Title: "O Reino de Cristal, líquido e manso”: derivas de utopia na épica camoniana
Authors: Bernardes, José Augusto Cardoso 
Keywords: camões; lusíadas
Issue Date: 2006
Publisher: Imprensa da Universidade de Coimbra
Abstract: As contas estão feitas: o substantivo “Mar” surge 215 vezes ao longo d’ Os Lusíadas. Vem logo atrás de “Gente” (28 0 ) “Terra” (2 7 1 ) e “Rei” (230). Nestas contas não entram adjectivos; não entram sequer sinónimos. Se fosse assim, haveria que considerar, pelo menos, a palavra “Água” (1 0 7 ) que, na épica de Camões, é quase sempre salgada. Não entram, tão-pouco, imagens e perífrases conexas. E, no entanto, elas revelam-se de importância capital(1). É justamente o caso da expressão que dá título a esta palestra, extraída da est. 18, do canto IX.
URI: http://hdl.handle.net/10316/44251
DOI: 10.14195/978-989-26-0438-1_19
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Português - Artigos em Livros de Actas

Files in This Item:
File Description SizeFormat
O reino de cristal, liquido e manso. Derivas de utopia na epica camoniana.pdf20.96 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

392
checked on Sep 17, 2021

Download(s) 50

451
checked on Sep 17, 2021

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Altmetric


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons