Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28333
Title: Diferenciação do funcionamento mnésico na demência vascular subcortical e na doença de Alzheimer: Um estudo com a WMS-III
Authors: Gonçalves, Cátia Alexandra Pereira 
Orientador: Pinho, Maria Salomé
Keywords: Escala de Memória de Wechsler – III; Demência vascular subcortical; Doença de Alzheimer; Avaliação Cognitiva de Addenbrooke – versão revista; Exatidão diagnóstica; Capacidade discriminativa; Alzheimer’s disease; Wechsler Memory Scale-III
Issue Date: 10-Dec-2015
Citation: GONÇALVES, Cátia Alexandra Pereira - Diferenciação do funcionamento mnésico na demência vascular subcortical e na doença de Alzheimer : um estudo com a WMS-III. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/28333
Abstract: Apesar de nos últimos anos ter havido em Portugal um grande desenvolvimento no campo da avaliação neuropsicológica de pessoas idosas, no sentido de providenciar instrumentos com normas específicas para diversas populações, alguns deles ainda carecem de estudos sistemáticos com determinados grupos clínicos, de forma a serem maximizadas as potencialidades da sua utilização em contexto clínico. Entre estes grupos encontram-se diferentes tipos de demências. Os neuropsicólogos são, frequentemente, solicitados para diferenciar a doença de Alzheimer (DA) e a demência vascular (DV), as duas causas de demência mais comuns na população idosa. O principal objetivo desta investigação foi o de averiguar se haveria um funcionamento mnésico diferencial na demência vascular subcortical (DVS), um subtipo de DV relativamente homogéneo com uma etiologia mais uniforme e um desfecho mais previsível, e na doença de Alzheimer (DA). Caso este fosse observado, pretendia-se detetar padrões de défice específicos que pudessem contribuir para o diagnóstico diferencial entre estas duas patologias. Administrou-se a Escala de Memória de Wechsler-3ª edição (WMS-III) por constituir uma bateria que avalia várias dimensões da memória em adultos e analisou-se a sua capacidade discriminativa para identificar e diferenciar a DVS da DA. Adicionalmente, aplicou-se a versão portuguesa do Addenbrooke’s Cognitive Examination-Revised (ACE-R), um instrumento de rastreio cognitivo, relativamente ao qual também foi investigada a capacidade de exatidão diagnóstica. A amostra foi constituída por dois grupos clínicos (DVS: n=18; DA: n=36) e um grupo controlo (n=40). Nenhum dos grupos diferia quanto à idade e sexo e os grupos clínicos estavam emparelhados entre si quanto às seguintes variáveis: severidade da doença, funcionamento cognitivo global, sintomatologia depressiva e inteligência pré-mórbida. Os participantes dos grupos clínicos foram recrutados em contexto hospitalar (quatro serviços de neurologia de centros hospitalares) e os participantes controlo saudáveis foram recrutados na comunidade, em instituições de cariz social e/ou recreativo. As comparações do desempenho dos participantes basearam-se em modelos estatísticos não paramétricos (Quade’s rank ANCOVA) devido ao número reduzido e características das distribuições dos resultados obtidos por cada grupo. A exatidão diagnóstica e a capacidade discriminativa dos instrumentos aplicados foram calculadas através de curvas ROC (receiver operating characteristic). Os resultados globais sugerem que os dois grupos clínicos têm um funcionamento mnésico distinto, apresentando dificuldades em diferentes tipos e fases da memória. Assim o grupo com DVS teve um desempenho significativamente superior ao do grupo com DA nos seguintes tipos de memória: auditiva imediata, visual e auditiva diferida, de reconhecimento e memória geral. Os participantes com DA manifestaram problemas ao nível da codificação e consolidação da informação e os participantes com DVS caracterizaram-se por dificuldades na recuperação da mesma. Apesar das limitações da amostra, os resultados obtidos podem fornecem orientações acerca da exatidão diagnóstica e capacidade de diagnóstico diferencial da WMS-III e do ACE-R nestes grupos clínicos.
Although in the recent years there has been a great development in the field of neuropsychological assessment of older people in Portugal, providing tools with specific norms for certain populations, a number of these instruments still lack systematic studies with certain clinical groups in order to maximize the potentialities of their use in clinical practice. Among these there are different types of dementia. Neuropsychologists are often asked to differentiate Alzheimer’s disease (AD) and vascular dementia (VD), the two most common causes of dementia in the elderly population. The main goal of this research was to understand if there is a differential memory functioning in subcortical vascular dementia (SVD), a more homogenous VD subtype with a more uniform aetiology and a predictable outcome, and in Alzheimer’s disease. If there was such differention, we would intend to detect patterns of specific deficits which can help in the differential diagnosis between these two pathologies. For that purpose we used the Wechsler Memory Scale – 3rd edition (WMS-III) because it is a battery for adults’ memory assessment, which evaluates several dimensions of this cognitive function, and we analysed its discriminative capacity in detecting and differentiating the SVD from AD. Additionally, we administered the Portuguese version of Addenbrooke’s Cognitive Examination – Revised (ACE-R), a cognitive screening tool. We also evaluated the diagnostic accuracy of this test. The sample was composed by two clinical groups (SVD: n=18; AD: n=36) and one control group (n=40). None of the groups differed in age and sex and the clinical groups were matched in the following variables: disease severity, overall cognitive functioning, depressive symptomatology, and pre-morbid intelligence. The participants of the clinical groups were recruited in the hospital setting (four neurological departments of hospital centres took part in this research) and the control participants were recruited from the community in senior social and/or recreational institutions. The performance comparisons of the subjects were based on nonparametric statistical models (Quade’s rank ANCOVA) due to the small number and specific distribution features of the data obtained from each group. The diagnostic accuracy and discriminative ability of the tools were examined via ROC (receiver operating characteristic) curves. General findings suggest that these two clinical groups have a different memory functioning, presenting difficulties in different memory types and stages. The SVD group had a significantly better performance than the AD group on the following types of memory: auditory immediate, visual and auditory delayed, auditory recognition delayed and general memory. The AD patients showed encoding and consolidation problems and the SVD patients were characterized by difficulties in retrieval. Despite sample limitations, the results obtained could provide some guidelines for the diagnostic accuracy and differential diagnosis ability of the WMS-III and the ACE-R in these clinical groups.
Description: Tese de doutoramento em Psicologia, na especialidade de Neuropsicologia, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/28333
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Funcionamento mnésico na demência vascular subcortical e na doença de Alzheimer.pdf1.25 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

351
checked on Oct 15, 2019

Download(s) 10

1,074
checked on Oct 15, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.