Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27133
Title: Elogio do feio na arte: fealdade no séc XX
Authors: Calheiros, Luís Filipe Ferreira da Bandeira 
Orientador: Craveiro, Maria de Lurdes
Rodrigues, Dalila
Keywords: Feio; Movimento artístico - Século XX
Issue Date: 16-Jun-2015
Citation: CALHEIROS, Luís Filipe Ferreira da Bandeira - Elogio do feio na arte : fealdade no séc XX. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/27133
Abstract: O presente texto regista um trabalho de investigação no qual foi avançada uma tese teórica interpretativa, de perfil disciplinar da História da Arte, que tenta fazer uma hermenêutica estética do novecentismo, propondo o conceito de Belo-feio como o conceito estético sub-categorial identificador da metade da criação artística de mais relevante impacto cultural da Arte do Século XX, designadamente na arte da pintura, que será a disciplina artística abordada. A abordagem teórica da fenomenologia estética particular e da sua caracterização axiológica fundamentou-se no pensamento filosófico de autores como Aristóteles, I. Kant, G.W.F. Hegel ou nos «Mestres da Suspeita», F.W. Nietzsche, K. Marx e S. Freud. Foram também consultados vários ensaístas que estudaram especializadamente a fenomenologia do Feio e a sua determinação teórico-crítica enquanto sub-categoria integrável no sistema estético, como Umberto Eco ou ainda, por exemplo Lydie Krestovsky, Raymond Polin, Eugénio Trias, Pedro Azara, entre outros, ou sobretudo Karl Rosenkranz, discípulo de G. W. F. Hegel, que foi um dos autores basilares do estudo teórico do feio e da fealdade artística. Os juízos críticos do discurso argumentador, que se pretenderam inequívocos na análise interpretadora das evidências empíricas da fenomenologia estudada, basearam-se, para efeito de prova factual, na demonstração pela imagem, a partir dos inúmeros exempla das obras da fealdade estética dos movimentos artísticos do Século XX, ou de artistas independentes contemporâneos, expostos em indispensáveis anexos iconográficos. A partir das obras de arte estudadas foi configurado o novo paradigma estético novecentista. Foi feita uma exposição por um alargado bloco de ilustração do advento das novas formas e dos novos conteúdos artísticos do Século XX, que revelam o apogeu estético de uma fealdade que povoa ubíqua a arte da pintura da centúria, simultaneamente registo testemunhal e transfiguração sublime da fealdade real desses tempos hodiernos.
This text records a research work in which has been advanced an interpretative theoretical thesis, based on an art history profile, trying to make an aesthetic hermeneutics in the 20th century, proposing the Belo-ugly concept as the identifier sub-categorical aesthetic concept of half of the artistic creation of more relevant cultural impact in the 20th Century Art, particularly in the art of painting, which will be the addressed artistic subject. The theoretical approach of the particular aesthetics phenomenology and its axiological characterization was based on the philosophical thought of authors such as Aristotle, I. Kant, GWF Hegel or in 'Masters of Suspicion", FW Nietzsche, K. Marx and S. Freud. Several essayists who hardly studied the phenomenology of ugly and its determination as theoretical-critical sub-category inside the aesthetic system, as Umberto Eco or, for example Lydie Krestovsky, Raymond Polin, Eugenio Trias, Pedro Azara, among others, have also been consulted, especially Karl Rosenkranz, GWF Hegel’s disciple, which was one of the most important authors as far as the theoretical study of the ugly and artistic ugliness is concerned. Critical judgments of the reasoning discourse that sought to be unmistakeable in the interpreting analysis of studied phenomenology empirical evidence, have been based, for factual evidence purposes, into statement by image, from the numerous exempla of works of aesthetic ugliness of artistic movements in the 20th century or into contemporary independent artists, exhibited in indispensable iconographic attachments. From the studied works of art, the new aesthetic paradigm in the 20th century was configured. It has been made an exhibition through an extended illustrating block of the advent of new forms and new artistic contents in the 20th century, revealing the aesthetic climax of an ugliness that ubiquitously characterizes century art painting, both testimonial register and sublime transfiguration of real ugliness from those modern times.
Description: Tese de doutoramento em História da Arte, apresentada ao Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/27133
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Artes - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Elogio do feio na arte.pdf7.38 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

381
checked on Nov 12, 2019

Download(s) 5

4,366
checked on Nov 12, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.