Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/15400
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSantos, Maria João Seabra-
dc.contributor.authorAntunes, Natália Henriques-
dc.date.accessioned2011-06-27T07:42:39Z-
dc.date.available2011-06-27T07:42:39Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/15400-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Psicologia Clínica, sub-especialização em Sistémica, Saúde e Família, sob a orientação da Prof. Doutora Maria João Seabra Santos.por
dc.description.abstractEste estudo pretende investigar a relação entre algumas variáveis da parentalidade, nomeadamente os estilos parentais e o sentido de competência parental, e comportamentos da criança de tipo externalizante (hiperactividade/oposição). Para isso, recorreu-se a três instrumentos: Parental Account of Children’s Symptoms (PACS, Taylor, Sandberg, Thorley, & Gilles, 1991); Escala de Estilos Parentais (Arnold, O’Leary, Wolff, & Acker, 1993); e Escala de Sentido de Competência Parental (PSOC; Johnston & Mash, 1989). Pretendeu-se, igualmente, recolher alguns dados normativos e psicométricos preliminares sobre estes instrumentos de avaliação numa amostra não-clínica, constituída por 124 crianças pré-escolares e pelos respectivos pais. Os dados obtidos com estes instrumentos na amostra normativa foram, igualmente, comparados com os de uma amostra clínica. Os resultados revelam que, em média, os pais de crianças da amostra comunitária não apresentam uma taxa significativamente diferente de estilos parentais inapropriados do que os de crianças da amostra clínica. Porém, encontrou-se uma diferença entre as duas amostras perto do nível de significância estatístico, no que diz respeito à adopção de um estilo parental caracterizado pela sobre-reactividade, sugerindo que um estilo parental mais punitivo, exigente e ameaçador se encontra mais em crianças com problemas de comportamento do que em crianças da comunidade em geral. Por outro lado, os pais da amostra comunitária sentem-se mais competentes, apresentando níveis mais elevados de eficácia e de satisfação com a sua parentalidade. Os resultados de um estudo correlacional na amostra comunitária apontam, igualmente, para uma relação positiva e significativa entre problemas de conduta ou de hiperactividade nas crianças e a adopção de estilos parentais caracterizados pela sobre-reactividade e menor sentido de competência por parte dos pais. Os resultados são discutidos do ponto de vista das relações entre variáveis relacionadas com a parentalidade e o comportamento evidenciado pela criança.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectParentalidadepor
dc.subjectEstilos Parentaispor
dc.subjectIdade Pré-Escolarpor
dc.subjectProblemas de comportamentopor
dc.titleA parentalidade e a criança: estudo exploratório sobre a relação entre estilos parentais, sentido de competência parental e o comportamento da criançapor
dc.typeworkingPaperpor
dc.peerreviewedYespor
item.languageiso639-1pt-
item.grantfulltextopen-
item.fulltextCom Texto completo-
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 5

969
checked on Oct 2, 2019

Download(s)

65
checked on Oct 2, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.