Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94363
Title: A crioulidade em José Eduardo Agualusa e a identidade cultural angolana
Authors: Lima, Danuza Américo Felipe de
Orientador: Laranjeira, José Luís Pires
Keywords: literatura; Angola; José Eduardo Agualusa; crioulidade; identidade; cultura; literature; Angola; José Eduardo Agualusa; Creoleness; identity; culture
Issue Date: 19-Jan-2021
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A literatura angolana teve o seu percurso marcado pelo processo de descolonização, por isso, boa parte das produções tem a história e a identidade como questões fulcrais. É o que se passa com José Eduardo Agualusa, que, no entanto, apresenta uma percepção a esse respeito que o particulariza entre os demais escritores da sua geração. Sua visão é amparada por padrões ligados a uma heterogeneidade que enfatiza a contribuição portuguesa na identidade cultural angolana, contíguo aos conceitos que sobrevalorizam os sincretismos, hibridações, mestiçagens, transposições de fronteiras, dualismo cultural, convivências e ambivalências nas relações entre Angola, Brasil e Portugal, propondo uma reflexão sob os termos do que designa como identidade crioula. A opção de Agualusa promove acentuada polêmica no circuito dos estudos literários sobre Angola, uma vez que reverbera a discussão sobre questões sociais como, por exemplo, as relações rácicas, políticas e os conflitos históricos em torno do colonialismo. Essas tensões aparecem constantemente figuradas em seus livros. A sua percepção se opõe a outra linha de pensamento, que contesta fortemente a teoria da crioulidade angolana, vendo-a como uma versão do lusotropicalismo de Gilberto Freyre, a qual não leva em consideração o caráter hegemônico dessa teoria e o processo de violência presente na hibridação das culturas, uma vez que ameniza e silencia todos esses momentos problemáticos e as posteriores refutações sobre eles. Ora, é exatamente esse o ponto crucial investigado na presente tese de doutoramento, que tem, como objetivo central, o estudo da crioulidade em José Eduardo Agualusa, tendo como corpus os livros A conjura, Estação das chuvas, Nação crioula: a correspondência secreta de Fradique Mendes e A rainha Ginga e de como os africanos inventaram o mundo. Selecionamos esses livros em razão de suas semelhanças temáticas e, no decorrer das análises, recorremos também a exemplos que abrangem ensaios, entrevistas e outros livros do autor. Essa investigação demandou uma abordagem teórica interdisciplinar, pois levantou discussões nas áreas da Literatura e das Ciências Sociais. Defendemos a tese de que, subjacente ao tema da crioulidade, há um conflito cultural e histórico, decorrente do processo colonial, ainda não superado em Angola, em Portugal e no Brasil, configurado nos romances de Agualusa. Desse modo, analisamos atentamente os embates sociais, discursivos e ideológicos subjacentes à ideia de uma sociedade angolana pretensamente crioula.
Angolan literature had its path traced by the decolonization process. That is why a large part of the productions has a history and an identity as key issues. This is what happens with José Eduardo Agualusa, who, however, presents a perception that distinguishes him among the other writers of his generation. His vision is supported by a heterogeneity that emphasizes the Portuguese contribution of Angolan cultural identity, contiguous to the concepts of syncretism, hybridity, miscegenation, cross-border, cultural dualism, coexistences and ambivalences in the relations between Angola, Brazil and Portugal, proposing a reflection under the terms designed by him as a creole identity. The Agualusa’s option promotes a marked controversy in the circuit of literary studies about Angola, since it reverberates a discussion on social issues, for example, race relations, politics and historical conflicts around colonialism. These tensions are constantly figured in his books. Agualusa’s perception opposed a part of thought that strongly refutes the theory of the Angolan creoleness, by considering it as a version of Gilberto Freyre's lusotropicalism, that fails in taking into consideration the hegemonic character of this theory, such as the violence present in the hybridization of cultures, as it softens and silences those problematic moments and posterior refutations about this. Now, this is exactly the crucial point investigated in the present doctoral study, which has, as its central objective, the study of creoleness in José Eduardo Agualusa, having as corpus the books A conjura, Estação das chuvas, Nação crioula: a correspondência secreta de Fradique Mendes e A rainha Ginga e de como os africanos inventaram o mundo. We selected these books because of their thematic similarities and, into the analysis, we also used examples that include essays, interviews and other books by the author. This investigation requires an interdisciplinary theoretical approach, which involves discussions in the areas of Literature and Social Sciences. We claim the thesis of, underlying the theme of creoleness, there is a cultural and historical conflict resulting from the colonial process, still do not overcome in Angola, Portugal and Brazil, configured in Agualusa’s novels. Thus, we analyse the social clashes, as well as the discourses and ideological ones on which an allegedly Creole Angolan society lies.
Description: Tese de doutoramento em Literatura de Língua Portuguesa, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/94363
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Português - Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
A crioulidade em José Eduardo Agualusa e a identidade cultural angolana.pdf1.75 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

59
checked on Jun 10, 2021

Download(s)

22
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.