Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/87823
Title: Mal incontrolável? As políticas de controlo da malária dos Serviços de Saúde da Diamang na circunscrição do Chitato (Província de Lunda Norte) entre 1917 e 1975
Other Titles: Uncontrollable disease? Malaria control policies devised by Diamang's Health Services in the Chitato's circumscription (Northeastern Lunda Province) between the years of 1917 and 1975
Authors: Birck, Jordana John
Orientador: Ferreira, Jorge Filipe Sousa Varanda Preces
Keywords: malária; serviços de saúde da Diamang; profilaxia; Angola; colonial; malaria; Diamang’s health services; prophylaxis; Angola; colonial
Issue Date: 17-Sep-2019
Serial title, monograph or event: Mal incontrolável? As políticas de controlo da malária dos Serviços de Saúde da Diamang na circunscrição do Chitato (Província de Lunda Norte) entre 1917 e 1975
Place of publication or event: DCV
Abstract: A malária foi um dos diversos obstáculos, com os quais a Companhia de Diamantes de Angola (Diamang) se deparou, e que ameaçou a manutenção da produtividade da sua mão-de-obra. Devido a isto, os Serviços de Saúde da Companhia desenvolveram medidas profiláticas de combate à doença. Apesar das diferentes medidas implementadas, a doença mostrou-se incontrolável no território. Este trabalho tem como objetivo delinear e analisar as medidas profiláticas de combate à malária no território da Diamang entre 1917 a 1975, tendo em conta que, para além dos fatores biológicos e ecológicos, os fatores sociais também influenciaram a prevalência da doença.A fim de se compreender a profilaxia contra a malária no território da Diamang, utilizaram-se, como fontes primárias, documentos redigidos pelos próprios serviços da companhia: os “Relatórios Anuais de Saúde”, “Relatórios de Urbanização e Saneamento” e os “Relatórios do Serviço de Propaganda e Assistência à Mão-de-Obra Indígena”. Em conjunto com estas fontes primárias, diferentes obras referentes à malária, à saúde em África e em Angola serviram de instrumento para uma melhor compreensão das informações retiradas dos relatórios da companhia.Concluiu-se que a malária não foi controlada, devido à existência de uma estratificação social na região. Pôde-se inferir que, apesar da campanha antimalárica ter sido ‘uma só’, existiram dois tipos de quimioprofilaxia, e o controlo vetorial não abrangeu todas as zonas onde a companhia exercia os seus trabalhos. Sendo assim, a malária persistiu na região, não apenas, devido aos fatores ecológicos inerentes à doença, mas também aos fatores sociais que influenciam diretamente a sua dinâmica. Este estudo, procura alertar o leitor e demonstrar que os erros e acertos do passado servem de lição para o presente, de modo a que melhores formas de combate, não somente à malária, também como a outras doenças infeciosas, sejam pensadas e implementadas.
Malaria was one of the many obstacles that Companhia de Diamantes de Angola had to overcome in order to mantain its labor efficiency within its territory. Thus, Diamang’s Health Services implemented prophylactic measures against the disease in the attempt of fighting it. However, malaria seemed to be uncontrollable. This research aims to depict and analyze Diamang’s prophylactic measures against malaria from 1917 to 1975, considering that the social factors are as important as the biological and ecological ones in the disease’s prevalence. In order to better understand malaria’s prophylaxis within Diamang’s territory, it was crucial to analyze various documents, written by the company’s services, such as: “Relatórios Anuais de Saúde”, “Relatórios de Urbanização e Saneamento” and, “Relatórios do Serviço de Propaganda e Assistência à Mão-de-Obra Indígena”. In addition to these sources, other studies - that discuss malaria, African health and Angolan health - were also read, in order to better evaluate the information that has been taken from the primary sources.All in all, it is possible to ascertain that malaria was not controlled in Diamang, due to the existence of social stratification within its territory. Although the health services considered the anti-malaria campaign as ‘a single one’, there were two different quimioprophylaxis, and vector control did not comprise all the company’s operational zones. Thus, malaria was able to persist, not only because of its ecological factors, but due to social factors, which play a huge role in the disease’s dynamic. Therefore, the aim of this study is to advise and remind the reader about the successes and mistakes from the past, the important lessons that they still teach us nowadays, and also, that we should think about better and more efficient ways of fighting, not just malaria, but numerous infectious diseases.
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Médica e Saúde Global apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/87823
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Jordana John Birck.pdf2.3 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

37
checked on Jan 22, 2020

Download(s)

36
checked on Jan 22, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons