Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/84259
Title: Relação entre autocriticismo, pensamentos automáticos negativos e sintomatologia depressiva no período pós-parto: O papel moderador da autocompaixão
Other Titles: Relation between self-criticism, negative automatic thoughts and depressive symptomatology in the postpartum period: The moderating role of self-compassion
Authors: Pedro, Liliana Maria Rodrigues 
Orientador: Fonseca, Ana Dias da
Canavarro, Maria Cristina Cruz Sousa Portocarrero
Keywords: Autocompaixão; Autocriticismo; Pensamentos Automáticos Negativos; Pós-parto; Sintomatologia Depressiva; Depressive Symptoms; Negative Automatic Thoughts; Postpartum; Selfcompassion; Selfcriticism
Issue Date: 19-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Relação entre autocriticismo, pensamentos automáticos negativos e sintomatologia depressiva no período pós-parto: O papel moderador da autocompaixão
Place of publication or event: Universidade de Coimbra - Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
Abstract: Objective: In the present study we sought to better understand the effect of self-criticism on postpartum depressive symptomatology, through the women’s automatic negative thoughts (content and metacognitive evaluation), and analyze the moderating role of Self-compassion in this relationship. Methods: A cross-sectional study was conducted, comprising a sample of 686 women in the postpartum period (up to 12 months after birth), who responded to a set of self-assessment questioneries through an online survey. The recruitment process took place online and in person (in the maternity Daniel de Matos, CHUC). The mediation and moderation analyzes were performed using the PROCESS macro of SPSS (Hayes, 2013). Results: Women with depressive symptomatology had higher levels of self-criticism and lower self-Compassion, compared to women with no symptoms (p <.001). In addition, the effect of self-criticism on depressive symptomatology in the postpartum period appears to occur sequentially through the content of negative automatic thoughts and the evaluation of these thoughts. It was also found that self-compassion has a moderating effect only on the relation between self-criticism to negative automatic thoughts. Conclusion: This study emphasizes the importance of self-criticism and the metacognitive component for the for the appearance of depressive symptomatology in the postpartum period, as well as the role of self-compassion as a strategy of protective self-regulation, since the effect of self-criticism on negative automatic thoughts decreases in the presence of higher levels of self-compassion. These results are an important contribution to the context of preventive intervention in the development of adaptive regulation strategies to deal with postpartum negative automatic thoughts.
Objetivo: No presente trabalho procurámos conhecer melhor o efeito do autocriticismo na sintomatologia depressiva no pós-parto, através dos pensamentos automáticos negativos das mulheres (conteúdo e avaliação metacognitiva), e analisar o papel moderador da autocompaixão nesta relação. Método: Para efetuar este estudo transversal, foi utilizada uma amostra de 686 mulheres no período pós-parto (até aos 12 meses após o nascimento) que responderam a um conjunto de instrumentos de avaliação de autorresposta através de uma online survey. O processo de recrutamento ocorreu de forma online e presencial (na Maternidade Daniel de Matos, CHUC). As análises de mediação e de moderação foram realizadas com recurso à macro PROCESS do SPSS (Hayes, 2013). Resultados: Mulheres com sintomatologia depressiva apresentaram níveis mais elevados de autocriticismo e mais baixos de autocompaixão, comparativamente com mulheres sem sintomatologia (p <.001). Para além disso, constatou-se que o efeito do autocriticismo na sintomatologia depressiva no período pós-parto parece ocorrer sequencialmente, através do conteúdo dos pensamentos automáticos negativos e da avaliação desses pensamentos. Verificou-se ainda que a autocompaixão exerce um efeito moderador apenas na relação entre autocriticismo e os pensamentos automáticos negativos. Conclusão: Este estudo enfatiza a importância do autocriticismo e da componente metacognitiva para o aparecimento de sintomatologia depressiva no período pós-parto, bem como do papel da autocompaixão enquanto estratégia de autorregulação protetora, uma vez que o efeito do autocriticismo nos pensamentos automáticos negativos diminui na presença de níveis mais elevados de autocompaixão. Estes resultados são um importante contributo para o contexto de intervenção preventiva, no que respeita ao desenvolvimento de estratégias de regulação adaptativas para lidar com os pensamentos automáticos negativos no pós-parto.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/84259
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
tese Liliana Pedro.pdf697.12 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

386
checked on Jun 2, 2020

Download(s) 50

339
checked on Jun 2, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons