Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81461
Title: Team autonomy and team effectiveness in an organizational context: The mediating role of team learning behaviours
Other Titles: Autonomia e eficácia nos grupos de trabalho: o papel mediador dos comportamentos de aprendizagem
Authors: Bader, Josef 
Orientador: Lourenço, Paulo Renato Martins Ribeiro Silva
Berger, Rita
Keywords: Equipas; Autonomia grupal; Comportamentos de aprendizagem em grupo; Eficácia grupal; Teams; Team Autonomy; Team Learning Behaviours; Team Effectiveness
Issue Date: 7-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Team autonomy and team effectiveness in an organizational context: The mediating role of team learning behaviours
Place of publication or event: Coimbra, Portugal
Abstract: A autonomia a nível grupal é entendida pelo como o grau de discreção e liberdade, independência e margem de atuação que umaa equipa apresenta ao decidir como desempenha as suas tarefas, e ésendo frequentemente vista como uma característica fundamental e desejada em equipas no âmbito organizacional. Deste modo, aA influência que a autonomia temexerce sobre as dinâmicas da equipa (processos de grupo e/ou estados emergentes de grupo) e, também, sobre a eficácia grupal, é faz da autonomia grupal um campo de interesse crescente para investigadores organizacionaisque se dedicam ao estudo dos grupos nas organizações. Tendo como base o Modelo Input Mediador Output Input (IMOI) como referência (Ilgen et al., 2005; Koslowski & Ilgen, 2006), esta investigação tem teve como objetivo contribuir para a clarificação dna relação entre a autonomia grupal e a eficácia grupal, considerando o papel dos comportamentos de aprendizagem em grupo nesta relação. Adotando um desenho transversal e uma análise a nível grupal, o modelo foi testado um modelo incluindo a autonomia grupal como input, os comportamentos de aprendizagem em grupo (conceptualizados como processo de grupo) como mediador e a eficácia grupal (medida pelos critérios de desempenho grupal, viabilidade do grupo, qualidade da experiência grupal, e processos de melhoria de processos grupalde grupo) como output. A amostra foi composta por 90 equipas (incliuindo 90 líderes e 445 membros), de 40 organizações portuguesas. Para a análise dos dados foi utilizada a , análise de regressão, nomeadamente o método de produto dos coeficientes, proposto por MacKinnon, Lockwood, Hoffman, West e Sheets (2002) foi utilizado. Os resultados demonstram revelaram uma relação positiva entre a autonomia grupal e os comportamentos de aprendizagem em grupo, uma relação positiva entre os comportamentos de aprendizagem em grupo e cada um dos critérios da eficácia grupal e também uma mediação completa total dos comportamentos de aprendizagem em grupo na relação entre a autonomia grupal e a eficácia grupal. Os resultados são discutidos tendo em conta contribuições tanto quer ao nível da investigação quanto a nível da práticaquer ao nível da intervenção. As limitações do estudo realizado, bem como e indicações para futuras investigações também são, também, apresentadas.
Team autonomy, understood as the degree of discretion and freedom that a team presents when deciding how to carry out tasks, is often seen as a critical and a desirable trait for a team in organizational settings. Thus, the influence that autonomy exerts over team’s dynamics (team processes and/or team emergent states) and also over team effectiveness is a growing field of interest to organizational researchers. Based on the Input Mediator Output Input model (IMOI) as a framework (Ilgen et al., 2005; Koslowski & Ilgen, 2006), this research aimed to be a contribution to clarifying the relationship between team autonomy and team effectiveness, considering the role of team learning behaviours in this relationship. Adopting a cross-sectional design and a group level analysis, a model was tested including team autonomy as the input, team learning behaviours (conceptualized as a group process) as the mediator and team effectiveness (measured by the criteria of team performance, team viability, quality of team experience, and team process improvement) as the output. The sample was composed by 90 teams (including 90 team leaders and 445 team members), from 40 Portuguese organizations. To analyze the data, regression analysis, namely the product of coefficients method, proposed by MacKinnon, Lockwood, Hoffman, West and Sheets (2002) was used. The results showed a positive relationship between team autonomy and team learning behaviours, a positive relationship between team learning behaviours and each one of the criteria of team effectiveness and also a full mediation of team learning behaviours in the relationship between team autonomy and team effectiveness. Results are discussed considering their contribution both at a research and at an intervention level. Limitations and indications for further research are also presented.
Description: Dissertação de Mestrado em Psicologia do Trabalho, das Organizações e dos Recursos Humanos apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/81461
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Bader_thesis_final.pdf1.26 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

482
checked on Oct 21, 2020

Download(s) 50

483
checked on Oct 21, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons