Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/617
Title: As bacias de Mirandela, Macedo de Cavaleiros e de Vilariça-Longroiva : estudo de geomorfologia
Other Titles: The Mirandela, Macedo de Cavaleiros and Vilariça-Longroiva basins : geomorphologic research
Authors: Santos, José Gomes dos 
Orientador: Rebelo, Fernando Manuel da Silva
Cunha, Lúcio
Keywords: Geografia; Geomorfologia -- Trás-os-Montes
Issue Date: 9-Dec-2005
Abstract: O conhecimento geomorfológico de Trás-os-Montes é, ainda, muito limitado. As raízes deste processo de investigação, materializadas no presente documento, assentaram na concepção teórica do tema em destaque, na reflexão sobre o conhecimento geomorfológico da região e na elaboração de um plano de trabalhos coerente com os objectivos propostos e consentâneo com as limitações de ordem técnica e, principalmente, logística. Conscientes do muito que havia por fazer no âmbito da Geomorfologia, procurámos encetar esforços, no sentido de colmatar algumas das principais lacunas relativas ao conhecimento da região trasmontana, procurando relacionar a informação disponibilizada por trabalhos precedentes com a que frutificaria da presente investigação com base na articulação de dados provenientes dos registos de terreno, com os das análises laboratoriais e com os que foram processados em ambiente SIG. Este estudo foi organizado em função dos conteúdos a tratar e das metodologias utilizadas. Obedecendo, naturalmente, a múltiplas contingências, e a dificuldades várias, a estrutura do trabalho foi sendo redefinida, a par e passo, com o decurso da investigação, até culminar na versão final que agora se apresenta. Trata-se de um trabalho dividido em quatro partes e "compartimentado" em dez capítulos. Ao nível das principais conclusões, pensamos que a individualização geomorfológica das bacias de Mirandela, Macedo de Cavaleiros e de Vilariça-Longroiva, deverá ter sido fortemente controlada pela acção da tectónica, talvez mais do que por quaisquer outros agentes de controlo da sua morfossedimentogénese. Não obstante, é nosso entendimento que a acção da tectónica terá de ser articulada com outros factores, destacando-se a importância da diversidade litológica, das variações climáticas globais e, em particular, das que se fizeram sentir a nível regional e local. Em paralelo com a importância da tectónica, entendemos que a ligação distal das depressões interiores ao nível de base oceânico, deverá ter sido um factor fundamental para que se consiga compreender a evolução recente do modelado regional. A especificidade da conjugação destas três grandes categorias de factores e, no pormenor, dos sub-factores nos quais se podem segmentar, parece responder, de modo ajustado e suficientemente coerente, aos problemas colocados por um relevo cuja complexidade morfológica radica, desde logo, no próprio substrato litológico. No final, permanece a sensação de que nem tudo o que queríamos dizer foi dito, e de que nem tudo o que queríamos ter feito foi, de facto, concretizado. Como paliativo deste desconforto, resta-nos o consolo de pensar que este, como qualquer outro processo de investigação científica é, por natureza e, porventura, também por definição, uma "tarefa aberta".
Description: Tese de doutoramento em Letras, área de Geografia (Geografia) apresentada à Fac. de Letras de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/617
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FLUC Geografia - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

191
checked on Sep 22, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.