Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/37201
Title: Fatores de risco microbiológicos e ambientais na doença inflamatória intestinal : uma revisão
Authors: Santos, Núria Ferreira 
Orientador: Gradiz, Rui Vasco Quintais
Pinto, Anabela Mota
Keywords: Doença de Crohn; Doenças inflamatórias dos intestinos; Exposição ao ambiente; Microbiota
Issue Date: Mar-2016
Abstract: Introdução: a Doença Inflamatória Intestinal (DII) é uma patologia que envolve o tubo digestivo, podendo ter manifestações extraintestinais. A fisiopatologia desta doença permanece obscura, apesar de se manter a crença de que ela ocorre devido a uma complexa interação entre fatores de risco genéticos, ambientais, imunitários e microbiológicos. Objetivo: rever os dados relativos ao papel dos agentes microbiológicos e ambientais como fatores de risco para a DII, e clarificar os mecanismos fisiopatológicos envolvidos. Métodos: pesquisa nas bases de dados “PubMed”, “b-On” e “RCAAP”, com restrição aos estudos publicados nos últimos 6 anos. Resultados: não foram identificados microrganismos patogénicos comuns a todos os casos de DII. Verificou-se que a permeabilidade aumentada da barreira epitelial permite a translocação de microrganismos capazes de desencadear inflamação intestinal e que a DII é favorecida quando ocorre um desequilíbrio na homeostasia entre o microbioma intestinal e o hospedeiro. Quanto aos fatores de risco ambiental com influência fisiopatológica no desenvolvimento da DII, apenas foi possível identificar o consumo de tabaco como fator de risco na Doença de Crohn e fator protetor na Colite Ulcerosa. Os estudos sobre os restantes agentes ambientais revistos neste trabalho apresentaram resultados muito díspares entre eles. Conclusão: as alterações no microbioma constituem um fator de risco para o desenvolvimento da DII, em particular num contexto multifatorial, mas é fundamental compreender no futuro a forma como cada microrganismo específico modela o sistema imunitário. Quanto aos fatores ambientais, a disparidade de resultados sugere que são necessários mais estudos sobre esta problemática, estudos esses que permitam excluir todas as variáveis de confusão, para que se obtenham conclusões válidas que permitam recomendar a evicção ou potenciação da exposição a determinados fatores, bem como o desenvolvimento de terapêuticas dirigidas aos fatores de risco.
Introduction: inflammatory bowel disease (IBD) is a pathology that involves the gastrointestinal tract and can have extra-intestinal manifestations. The physiopathology of this disease remains obscure, although it is believed that IBD occurs due to a complex interaction between genetic, environmental, immunity e microbiological risk factors. Objectives: to revise the data concerning the role of microbiological and environmental agents as risk factors for IBD and clarify the pathophysiological mechanisms involved. Methods: research on the databases “PubMed”, “b-On” and “RCAAP”, with restrictions to studies published over the last 6 years. Results: no common pathogenic microorganisms to all IBD cases where identified. It was observed that the increase permeability of the epithelial barrier allows the translocation of microorganisms able to initiate intestinal inflammation e that IBD is favored when an imbalance in the homeostasis between the intestinal microbiota and the host occurs. Regarding to the environmental risk factor with pathophysiological influence in the development of IBD, only smoking was identified as a risk factor for Crohn Disease and a protective factor for Ulcerative Colitis. The remaining studies concerning the environmental agents revised in this work showed very different results between them. Conclusion: the alterations on the microbiota are a risk factor for the development of IBD, especially in a multifactorial context, but it is essential to understand the way each microorganism modulates the immune system in the future. Regarding to the environmental factors, the variety of results suggests that more studies on this topic are necessary. Those studies should allow the exclusion of all confusion variables, to obtain valid conclusions that allow recommending the eviction or potentiation of exposure to a certain factor, as well as the development of therapeutics targeted to specific risk factors.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina, área cientifica de Fisiopatologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/37201
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Núria Santos.pdf1.13 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

793
checked on Nov 13, 2019

Download(s) 50

373
checked on Nov 13, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.