Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/35788
Title: De adulto emergente a adulto de meia-idade: estudo das relações entre Inteligência Emocional, Bem-Estar Subjetivo, Confiança Interpessoal e Saúde Mental
Authors: Mendes, Teresa de Carvalho Neves Figueiredo 
Orientador: Dias, Maria da Luz Bernardes Rodrigues Vale
Keywords: Ciclo Vital do Desenvolvimento; Inteligência emocional; Bem-estar subjetivo; Confiança interpessoal; Saúde mental
Issue Date: 2016
Serial title, monograph or event: De adulto emergente a adulto de meia-idade: estudo das relações entre Inteligência Emocional, Bem-Estar Subjetivo, Confiança Interpessoal e Saúde Mental
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O Ciclo Vital do Desenvolvimento é definido como um processo contínuo, multidimensional e multidirecional de mudanças, compostas por influências genético-biológicas e socioculturais, de natureza normativa e não-normativa, marcado por ganhos e perdas concorrentes e por interatividade entre o indivíduo e a cultura. Assumindo a complexidade inerente ao desenvolvimento humano e dentro de um paradigma positivo que se centra na promoção do bem-estar e da saúde mental, este estudo pretende analisar o papel de constructos, cujo interesse científico se tem evidenciado na atualidade. Assim, os objetivos da presente investigação passam por perceber se existem relações entre Inteligência Emocional, Confiança Interpessoal, Bem-Estar Subjetivo e Saúde Mental na vida adulta, clarificando o potencial efeito preditor da Inteligência Emocional sobre o Bem-Estar Subjetivo, a Confiança Interpessoal e a Saúde Mental, assim como o valor preditivo da Saúde Mental face à Inteligência Emocional, ao Bem-Estar Subjetivo e à Confiança Interpessoal. Pretende-se verificar, também, as diferenças nos mesmos considerando três faixas etárias distintas - Adulto Emergente, Jovem Adulto e Adulto de Meia-Idade – e, ainda, segundo o género. Os instrumentos utilizados para a recolha de dados numa amostra de 255 sujeitos (172 do sexo feminino e 83 do sexo masculino) – distribuídos de igual forma pelas 3 faixas etárias de 85 sujeitos cada – foram os seguintes: Questionário Sociodemográfico; Rotenberg’s Specific Trust Scale Adults (RSTSA); Escalas de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS-21); Escala de Afetividade Positiva e Negativa (PANAS); Trait Meta-Mood Scale (TMMS – 24) e por último, Escala de Satisfação com a Vida (SWLS). Os resultados indicaram associações significativas entre o Bem- Estar Subjetivo e a Saúde Mental, a Confiança Interpessoal e a Saúde Mental, e a Confiança Interpessoal e a Satisfação com a Vida. Verificou-se também que as Escalas de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS) predizem 53% do Afeto Negativo e que a Saúde Mental pode ser explicada pela totalidade de fatores da Inteligência Emocional. Esta última prediz 17% da Satisfação com a Vida e 14% do Afeto Positivo. Além disto, verificou-se também, que existem diferenças ao nível da faixa etária no Afeto Negativo e na Confiança Interpessoal, sendo os Adultos Emergentes e os Jovens Adultos, respetivamente, a apresentar níveis mais elevados destas dimensões, observando-se um decréscimo na média ao passar à faixa etária seguinte. As diferenças de género ressaltaram para as variáveis: Atenção às emoções, Confiança Interpessoal e Ansiedade, sendo em todas elas, no sexo feminino, que se verificam médias mais elevadas.
The Development Life Cycle is defined by as a continuous, multidimensional and multidirectional process of changes, composed of genetic-biological and sociocultural influences, normative and non-normative, marked by gains and losses that compete among themselves, and interactivity between the individual and the culture. Assuming the complexity inherent in human development, and in a positive paradigm that focuses on promoting the well-being and mental health, this study aims to analyze the role of constructs, whose scientific interest has been shown in the present. Having said this, the goals of this research are to understand if there are relations between the constructs of Emotional Intelligence, Subjective Well-Being, Interpersonal Trust and Mental Health in adulthood, clarifying the potential predictor effect of Emotional Intelligence on the Subjective Well-Being, Interpersonal Trust and Mental Health or even Mental Health on the Emotional Intelligence, Subjective Well-Being and Interpersonal Trust. Simultaneously, also verify the differences of these in terms of the different age ranges: Adult Emergent, Young Adult and Adult Middle Age, and gender. The instruments used for the sample of 255 subjects (172 female and 83 male) - distributed equally into three age groups of 85 subjects each - were: sociodemographic questionnaire; Rotenberg's Specific Trust Scale Adults (RSTSA); Anxiety, Depression and Stress Scales (EADS-21); Positive and Negative Affect Schedule (PANAS); Trait Meta-Mood Scale (TMMS - 24) and Satisfaction with Life Scale (SWLS). The results indicated significant associations between Subjective Well-Being and Mental Health, Interpersonal Trust and Mental Health, and Interpersonal Trust and the cognitive dimension of Subjective Well-Being (Satisfaction with Life). It was also found that the Anxiety, Depression and Stress Scale (EADS) predict that 53% of the Negative Affect and Mental Health is explained by all factors of Emotional Intelligence. The latter predicts 17% of Satisfaction with Life and 14% of Positive Affect. Beside this, was also observed that there are differences in terms of age in Negative Affect and Interpersonal Trust, and the Emerging Adults and Young Adults, respectively, have higher levels of these dimensions, noting a decrease on average when moving to the next age group. Differences in gender highlighted the variables: Attention to emotions, Interpersonal Trust and Anxiety, and in all of them, female gender had the higher averages.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia da Educação, Desenvolvimento e Aconselhamento, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/35788
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE MIP - Teresa Mendes - 2016.pdf2.23 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,813
checked on Jun 9, 2021

Download(s) 10

1,872
checked on Jun 9, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.