Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/33106
Title: Representações sociais da violência entre parceiros íntimos: legitimação e resolução de conflitos
Authors: Mena, João 
Orientador: Carvalho, Maria Madalena Santos Torres Veiga de
Keywords: Violência entre parceiros íntimos; Representações sociais; Sexo; Estudantes; Profissionais
Issue Date: 2016
Keywords: Violência entre parceiros íntimos; Representações sociais; Sexo; Estudantes; Profissionais
Issue Date: 2016
Abstract: O presente estudo tem como objetivo central explorar as representações sociais acerca da violência entre parceiros íntimos, bem como a cronicidade e prevalência da utilização de táticas de resolução de conflitos. O protocolo foi aplicado a um total de 1185 sujeitos, sendo constiuido por um Questionário Sociodemográfico e de Dados Complementares, a versão portuguesa (Alexandra e Figueiredo, 2006) da Escala de Táticas de Conflito Revisadas (The Revised Conflict Tactics Scales – CTS-2) de Murray Straus (1996), o Questionário de Violência Conjugal – Histórias (QRVC-HIS) e o Questionário de Violência Conjugal – Causas, Manutenção e Resolução (QVC-CMR), ambos de Alarcão, Alberto, Correia e Camelo (2007). Os resultados sugerem uma baixa legitimação de comportamentos violentos, tendendo os homens a legitimar mais a utilização destes comportamentos. Não são encontradas diferenças ao nível das causas da VPI, tendo sido encontradas diferenças para a manutenção e resolução da VPI, variando estas com a área de estudos, e tendendo as mulheres a obter valores mais elevados. Ao nível do recurso a táticas de resolução de conflitos, a negociação é a tática mais utilizada, tendendo os estudantes a apresentar valores mais elevados que os profissionais. Apesar de a negociação ser a tática mais utilizada, e ser utilizada por quase a totalidade de sujeitos numa relação, o uso de táticas violentas apresenta valores bastante elevados. Este dado poderá ser útil na compreensão futura da VPI.
The current study has as a central objective to explore the social representations about intimate partner violence, as well as the chronicity and prevevance of the use of conflict resolution tactics. The protocol was applied to a total of 1185 subjects, and was constituted by a Sociodemographic and Complementary Dada Survey, the Portuguese version (Alexandra e Figueiredo, 2006) of The Revised Conflict Tactics (CTS-2), by Murray Straus (1996), the Conjugal Violence Questionnaire - Stories (QRVS-HIS) and the Conjugal Violence Questionnaire - Causes, Maintenance and Resolutions (QVC – CMR), both by Alarcão, Alberto, Correia e Camelo (2007). The results sugest a low legitimation of violent behaviour, with the tendency for man to legitimize more the use of such behaviours. No differences were found related to the causes of IVP, however differences were found relating to maintenance and resolution of IVP, which tend to vary acoording to the area of study, and woman tending to show higher scores. Regarding conflict resolution tactics, negotiation is the most used tactic, tending to be used at higher rated by sutdents than professionals. Although negotiation is the most used tactic, and is indeed used by almost all the subjects in a relationship, the use of violence tactis shows high scores. This data might be usefull in the future understanding of IVP.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia, especialização em Psicoterapia Sistémica e Familiar
URI: http://hdl.handle.net/10316/33106
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE MIP - João Mena - 2016.pdf1.86 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

200
checked on Aug 14, 2019

Download(s) 50

192
checked on Aug 14, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.