Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29934
Title: Ateliê como espaço de aprendizagem : processos de transformação na arquitectura portuguesa decorrentes do ateliê de Eduardo Souto de Moura
Authors: Martins, Mariana Barreira Rio Torto 
Orientador: Grande, Nuno
Keywords: Moura, Eduardo Souto de, 1952-, obra; Atelier Eduardo Souto Moura; Arquitectura, ensino Porto; Atelier, formação, ensino, Porto; Arquitecto, formação
Issue Date: 18-Nov-2015
Abstract: A Escola do Porto, enquantomodo de fazer e entender a arquitetura, ao longo das gerações, é marcada pela vida e obra de, entre outros,três arquitetosde excelência,Fernando Távora, Álvaro Siza e Eduardo Souto de Moura. Apesar da difícil definiçãoda sua identidade, para além de estabelecimento de ensino,e de ter passadopor algumas fases de contradição, decorrentes do seu contexto político e cultural, é,especialmente, na definição de conceitosemétodos, que se elabora a sua história.Esta Escola é entendida,ao longo desta dissertação,numa perspetiva de ateliê, isto é,como uma transmissão deconhecimentos, ideias e metodologias de geração para geração, para cuja relação o ensino-ateliê se torna essencial.Num momento em que a arquitetura portuguesa sofre uma mudança de paradigma,caracterizada por uma disseminação de práticas arquitetónicas,procura-seperceber de que forma a transmissão dessas metodologias e saberes se reflete na formação, na metodologia de trabalho e na arquitetura das novas gerações.Partindode uma ideia de genealogia da aprendizagem e da tríade de arquitetos referidos, tomando como figura o arquiteto Souto de Moura, o presente estudo foca-se na ideia do ateliê profissional como espaço de aprendizagem. Deste modo, estudando uma nova geração,de formação portuense e colaboradoradesse arquiteto em ateliê, procura-se perceber o impacto das relações aí estabelecidas na sua prática arquitetónica.No limite, tendo em conta estecontexto, problematizam-se os reflexos da Escola do Porto na arquiteturacontemporânea portuguesa.
CollaborationWhen it comes to do and understand architecture throughout generations, the School of Oporto’s is marked by the life and work of, among others, three architects of excellence: Fernando Távora, Álvaro Siza and Eduardo Souto de Moura. Its true identity is hard to define just because it has been through some contradictory periods, both culturally and politically. Its history is built, essentially, upon the definition of concepts and methods. The present essay addresses this School from an atelier’s perspective, as a transfer of knowledge, ideas and methodologies between generations, for which the “education-atelier” becomes essential.At a time when the Portuguese architecture undergoes a paradigm shift, characterized by the spread of architectural practices, it seeks to understand how the transmission of methodologies and knowledge is reflected upon the training, working methodology and architecture of the new generations. This study takes Souto de Moura as its central figure and addresses the professional atelier as a place of learning. Therefore, analysing the new generation of Souto de Moura’s collaborators, we seekto understand his impact on their architectural practices. In the end, taking all this into account, we evaluate the reflexes of the Schoolof Oporto in the Portuguese contemporary architecture.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitectura, apresentada ao Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/29934
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Arquitectura - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação MarianaMartins.pdf36.83 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

548
checked on Oct 17, 2019

Download(s) 20

808
checked on Oct 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.