Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27687
Title: A importância das representações sociais do corpo feminino nas desordens alimentares
Authors: Silva, Carla Lisa Cachapela da 
Orientador: Paixão, Rui
Keywords: Imagem corporal, adolescente; Ansiedade, adolescente; Autocriticismo, adolescente
Issue Date: 7-Oct-2014
Serial title, monograph or event: A importância das representações sociais do corpo feminino nas desordens alimentares
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Uma amostra de adolescentes do género feminino entre os 12 e os 18 anos (N=298), sem diagnóstico de perturbações alimentares, foram estudadas tendo como obejtivo principal perceber a importância da preocupação com o peso, na construção que fazem da sua aparência, e níveis de ansiedade e autocriticismo que apresentam. Neste contexto, avaliam-se as diferenças estatísticas intergrupais, de acordo com o IMC (IMC normal; acima do peso), idade (12-15; 16-18) e nível socioeconómico (baixo; médio/alto), com recurso a testes não paramétricos. As dimensões relacionadas com o peso são avaliadas pela versão portuguesa do Questionário Multidimensional das Relações Corpo/Self (MBSRQ) de Rocha (2012); para medir a ansiedade e o evitamento sociais, utiliza-se a EAESSA de Situações Sociais para Adolescentes (EAESSA) (Cunha, Gouveia, & Salvador, 2002). Dimensões de dependência e autocriticismo relativas à depressão, são avaliadas pela versão portuguesa do Questionário de Experiências Depressivas para Adolescentes (QED-A) (Morgado & Campos, 2011). Para estudar as Crenças Socioculturais sobre a Beleza foi elaborada uma escala identificada como Teste de Histórias para Crenças Socioculturais sobre a Beleza. Os dados psicométricos obtidos com esta escala (análise de componentes principais, consistência interna e estabilidade temporal) evidenciam resultados satisfatórios. Em relação ao principal objetivo deste trabalho verificou-se que: as raparigas acima do peso (IMC), avaliam pior a aparência e preocupam-se mais com o excesso de peso. Também surgem como mais autocríticas e ansiosas (e.g.: interacção com o sexo oposto). É possível concluir que as representações sociais são relevantes e contribuem para estes resultados, considerando que as raparigas acima do peso pontuam mais alto na legitimação do ideal de beleza (magreza), na influência social sobre a sua aparência e na rigidez associada à imagem. A influência das representações sociais parece fazer-se sentir desde tenra idade, com as raparigas mais jovens, no ensino básico, a mostrarem-se mais insatisfeitas com a sua imagem e mais preocupadas com o excesso de peso. Este grupo possui ainda níveis superiores de ansiedade e autocriticismo.
A female adolescent sample between ages 12 to 18 (N=298) without eating disorder diagnosis was studied with the aim to understand the weight concern importance on their appearance construction and their anxiety and selfcriticism levels. In this context, we evaluate between groups statistical differencies according to BMI (normal BMI; overweight), age (12-15; 16- 18) and socioeconomical status (low; middle/high), using non parametric tests. The weight related dimensions are evaluated by the Multidimensional Body-Self Relations Questionnaire portuguese version (Rocha, 2012); to measure social anxiety and avoidance, we use “Escala de Ansiedade e Eviamento de Situações Sociais para Adolescentes” (EAESSA) (Cunha, Gouveia, & Salvador, 2002). Dependency and selfcriticism dimensions related to depression are evaluated by the “Questionário de Experiências Depressivas para Adolescentes” (QED-A) portuguese vesion (Morgado & Campos, 2011). To study the sociocultural beliefs about beauty a scale was developed, identified as “Teste de Histórias para Crenças Socioculturais sobre a Beleza”. The psychometric data obtain through this scale (principal components analysis, validity and reliability) show satisfactory results. In relation to the main purpose of this work we verified that the overweight girls (BMI) evaluate their appearance worst and are more concern with being overweight. They also appear as mora selfcritic and anxious (e.g.: interaction with the opposite sex). It is possible to conclude that social representations are relevant in this results, considering that overweight girls score higher in beauty ideal legitimation (thinness), in social influence upon appearance and in image associated rigidity. The social representation influence seems to be felt since early ages, with younger girls showing greater dissatisfaction with their image and being more concerned with being overweight. This group also shows higher anxiety and selfcriticism levels.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e da saúde (Psicopatologia e Psicoterapias Dinâmicas) apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/27687
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE - Carla Lisa Silva.pdf591.67 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

332
checked on May 27, 2020

Download(s)

165
checked on May 27, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.