Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27514
Title: Financiamento na saúde em países da OCDE : evolução & tendências
Authors: Gomes, Ana Filipa Coelho 
Orientador: Lourenço, Óscar
Keywords: Financiamento em saúde; Tipos de financiamento; Beveridge; Bismarck; OCDE; Análise de clusters
Issue Date: 22-Sep-2014
Publisher: FEUC
Citation: Gomes, Ana Filipa Coelho - Financiamento na saúde em países da OCDE : evolução & tendências, Coimbra, 2014.
Abstract: Tem sido sugerido que nas últimas décadas o mix do financiamento em saúde dos países se tem modificado ao longo do tempo. Conhecer essa realidade e avaliar de que forma os tipos de financiamento (impostos, seguros sociais, seguros privados e pagamentos diretos) se comportam nos mix de cada país, seria pertinente não só em termos de eficiência e mas também em termos de sustentabilidade dos sistemas de saúde. O presente estudo tem como objetivo o de analisar a evolução temporal do mix de financiamento em saúde de um conjunto de países no sentido de detetar alterações temporais de longo prazo que tenham passado impercetíveis, em análises de curto prazo. Para isso selecionaram-se 1990 e 2010 como épocas temporais. Estabeleceu-se uma amostra de 18 países, e definiram-se as variáveis em estudo (percentagem de financiamento por impostos; por seguros sociais, por seguros privados e por pagamentos diretos). A fonte de dados para o estudo foi a base de dados da saúde da OCDE. Realizou-se uma análise exploratória dos dados para caracterização da amostra. Posteriormente aplicou-se a análise de clusters através da Medida de Distância Euclidiana Quadrada e o Método de Aglomeração centroide. Na análise exploratória de dados observa-se a formação de grupos de financiamento semelhante: países Beveridge (impostos como tipo de financiamento dominante) e países Bismarck (seguros sociais como tipo de financiamento dominante), excluindo-se EUA e Suíça da amostra. A análise de clusters evidenciou alterações temporais nos mix de financiamentos dos países. Além disso observou-se a formação de dois clusters: um com países Beveridge e outro com países Bismarck, após exclusão da amostra de dois países (EUA e Suíça). Evidenciou-se no cluster Beveridge uma aproximação intracluster e no cluster Bismarck um afastamento intracluster. A distância intercluster diminuiu aproximando os dois clusters. Possivelmente devido a alterações no mix de financiamento relacionadas com o financiamento por seguros privados e por pagamentos diretos.
Description: Dissertação de mestrado em Gestão e Economia da Saúde, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Óscar Lourenço.
URI: http://hdl.handle.net/10316/27514
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
1_PréTexto_AnaFGomes.pdf339.72 kBAdobe PDFView/Open
2_Texto_OrganizaçãoFinanciamentoSaúde_AnaFGomes.pdf1.31 MBAdobe PDFView/Open
3_PósTexto_AnaFGomes.pdf270.84 kBAdobe PDFView/Open
Capa_CV.pdf107.15 kBAdobe PDFView/Open
cvEuropass_AnaGomes.pdf451.73 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

708
checked on Jul 28, 2020

Download(s) 10

1,505
checked on Jul 28, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.