Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26474
Title: Para onde vai Portugal? / Dove va il Portogallo? A Revolução de Abril na Imprensa Italiana (1974-1976)
Authors: Gomes, Marco José Marques Gomes Alves 
Orientador: Vargues, Isabel Nobre
Cunha, Isabel Ferin
Keywords: Imprensa Italiana; Revolução; Repercussões Internacionais
Issue Date: 13-Mar-2015
Citation: GOMES, Marco José Marques Gomes Alves - Para onde vai Portugal? = Dove va il Portogallo? A Revolução de Abril na imprensa italiana (1974-1976). Coimbra : [s.n.], 2014 . Tese de doutoramento. Disponível na WWW em: <http://hdl.handle.net/10316/26474>
Abstract: Nesta investigação pretende-se estudar a forma com a imprensa de referência italiana reportou a Revolução de Abril e caraterizar o impacto dos acontecimentos portugueses no domínio da opinião pública e dos círculos políticos, jornalísticos e intelectuais em Itália. O âmbito cronológico da pesquisa situa-se entre 16 de Março de 1974 e 2 de Abril de 1976, entre o inconsequente golpe das Caldas da Rainha e a aprovação da Constituição da República. O estudo apresenta dois objetivos: a) através de um estudo de caso, analisar a cobertura jornalística do Corriere della Sera, de La Stampa e de Il Messaggero; b) socorrendo-se de uma abordagem exploratória, identificar e caraterizar os episódios e as temáticas suscitadas em Itália pelo curso revolucionário português. A estratégia metodológica procura testar a seguinte hipótese: o golpe militar de 25 de Abril de 1974 e o período revolucionário subsequente foram acolhidos pela imprensa italiana como um grande acontecimento. O caráter excecional da Revolução de Abril pode ser aferido através da dimensão quantitativa da cobertura jornalística e do envolvimento dos jornalistas no acontecimento. Determinados episódios e problemáticas suscitadas por esse período de transição para a democracia em Portugal alcançaram impacto relevante em Itália, no âmbito da opinião pública e dos círculos políticos, jornalísticos e intelectuais, tendo constituído um referencial apropriado e instrumentalizado no domínio das estratégias de política interna. O estudo de caso circunscreve-se às peças jornalísticas sobre a Revolução de Abril publicadas pelos jornais diários Corriere della Sera, La Stampa e Il Messaggero. A exaustiva análise exploratória abarca o vasto domínio das mais importantes publicações italianas, num universo que ascende aos 150 títulos. Desse universo constam os principais jornais diários, semanários e mensários de grande informação, bem como a imprensa partidária ou de tendência, além das publicações periódicas de referência. A intensidade da cobertura jornalística da Revolução de Abril, o envolvimento dos jornalistas no acontecimento e a profusão das repercussões em Itália explicam-se pelo encontro sincrónico entre, de um lado, o debate sobre o projeto comunista do compromisso histórico, o radicalismo e a conflitualidade dominantes e, do outro, a multiplicidade temática associada à Revolução dos Cravos, as suas contradições e a pertinência das questões suscitadas. A conjugação temporal destes fatores conferiu aos acontecimentos portugueses uma exposição mediática sem precedentes.
This research aims to study the way Italian qualities reported the April Revolution and characterise the impact of Portuguese events on public opinion and in political, media and intellectual circles in Italy. This study focuses on the period 16th March 1974 to 2nd April 1976, from the inconsequential Caldas da Rainha coup to the approval of the Constitution of the Republic. This study has two main aims: a) to present a case study which analyses the press coverage by Corriere della Sera, La Stampa and Il Messaggero; b) to use an investigative approach to identify and characterise the episodes and issues raised in Italy during the Portuguese revolution. The methodology seeks to test the following hypothesis: the military coup of 25th April 1974 and the subsequent revolutionary period were viewed by the Italian press as a significant event. The unique character of the April Revolution can be measured by the level of press coverage and the involvement of journalists in the event. Specific events and problems which arose as a result of this transition period to democracy in Portugal had a significant impact in Italy, in terms of public opinion and in political, media and intellectual circles, becoming a relevant and instrumental reference in internal political strategies. The case study concentrates on the press articles covering the April Revolution published by the daily newspapers Corriere della Sera, La Stampa and Il Messaggero. The extensive investigative analysis covers a vast range of the most important Italian publications which includes over 150 titles. This consists of the main daily, weekly, monthly publications as well as political press and also quality periodicals. The intensity of the press coverage of the April Revolution, the involvement of journalists in the event and the impact of the repercussions in Italy is demonstrated in the synchrony found between, on one side, the debate on the compromisso histórico communist project, the extremists and the prominent conflict and on the other side, the thematic complexity associated with The Carnation Revolution, its contradictions and the pertinence of questions which were raised. The timing of these factors gave the Portuguese events unprecedented media coverage.
Description: Tese de doutoramento em Letras (Pré-Bolonha), Área de Ciências da Comunicação, especialidade de História da Comunicação, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/26474
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Comunicação - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
A Revolução de Abril na Imprensa Italiana.pdf52.44 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

494
checked on Jul 17, 2019

Download(s) 20

685
checked on Jul 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.