Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26147
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlmeida, S.-
dc.contributor.authorPereira, Catarina-
dc.date.accessioned2014-06-26T14:19:35Z-
dc.date.available2014-06-26T14:19:35Z-
dc.date.issued2012-03-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/26147-
dc.description.abstractIntrodução: A azatioprina é um fármaco imunossupressor utilizado na doença inflamatória intestinal. Um dos efeitos secundários da azatioprina é a depressão da medula óssea, com consequente neutropenia e predisposição a infecções, podendo motivar a redução ou mesmo suspensão do fármaco. A monitorização hematológica regular é obrigatória nos doentes sob tratamento com este fármaco. Contudo, faltam estudos no sentido de avaliar factores de risco para a ocorrência de neutropenia e a vantagem da realização do doseamento da actividade da enzima tiopurina metiltransferase antes do início do tratamento, podendo ajudar a distinguir os doentes com maior risco de depressão medular. Objectivos: Estudo retrospectivo, com o objectivo principal de avaliar a prevalência de leucopenia e neutropenia como efeito secundário da azatioprina na doença inflamatória intestinal. Como segundo objectivo, pretendeu-se avaliar o custo benefício da genotipagem da enzima tiopurina metiltransferase em função da prevalência e gravidade dos casos de leucopenia e neutropenia encontrados. Metodologia: Análise dos processos clínicos dos doentes com o diagnóstico confirmado de doença inflamatória intestinal em tratamento com azatioprina, seguidos em consulta de Gastroenterologia no Hospital Pediátrico de Coimbra. As variáveis analisadas foram: sexo, idade, tipo de doença inflamatória intestinal, medicações concomitantes, dose, tempo de tratamento com o fármaco e número de leucócitos e neutrófilos em hemogramas seriados. Foi utilizado o programa Excel para o Windows 2003. Resultados: Nos 31 doentes estudados, a prevalência de casos de leucopenia foi de 8 (25,8%) e de neutropenia foi de 7 (22,6%), (5 raparigas e 2 rapazes). Não se registaram neutropenias severas. A dose média do fármaco administrada nos doentes que desenvolveram neutropenia foi 1,89 mg/kg/dia e a mediana foi de 1,8 mg/kg/dia. Até à ocorrência de neutropenia o tratamento teve uma duração média de 10 meses, com desvio padrão de 7,7 meses, mediana de 7 meses e amplitude interquartil de 5,5 meses. Todos os doentes recuperaram os valores hematológicos com redução ou suspensão do fármaco. Conclusões: A prevalência de casos de neutropenia obtida na nossa série foi elevada, sendo a maioria em doentes do sexo feminino. O tempo de duração de tratamento até ao desenvolvimento do efeito adverso foi muito variável, desde 5 meses até 27 meses. Todos os casos encontrados foram de gravidade ligeira e reversível com a redução ou suspensão do fármaco. A determinação da actividade da enzima tiopurina metiltransferase ou o estudo molecular, não seria, no nosso caso, vantajosa em termos de custo/benefício.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectAzatioprinapor
dc.subjectDoenças inflamatórias do intestinopor
dc.subjectNeutopeniapor
dc.subjectLeucopeniapor
dc.subjectImunossupressorespor
dc.titlePrevalência de neutropenia secundária à azatioprina numa população pediátrica com doença inflamatória intestinalpor
dc.typeotherpor
dc.peerreviewedYespor
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Resumo.docResumo-Abstract35.5 kBMicrosoft WordView/Open
Trabalho Final.pdfDissertação260.88 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 20

642
checked on Sep 24, 2021

Download(s) 50

501
checked on Sep 24, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.