Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/26056
Title: Os bons ares do barrocal algarvio : a tuberculose em ferroviários internados no Sanatório Carlos Vasconcelos Porto
Authors: Matos, Vitor 
Santos, Ana Luísa 
Keywords: Tuberculose pulmonar; Sanatório; Arquivos hospitalares; Companhia de Caminhos de Ferro
Issue Date: 23-Jun-2014
Publisher: Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Centro de Estudos de Património e História do Algarve (CEPHA)
Citation: MATOS, Vítor; SANTOS, Ana Luísa - Os bons ares do barrocal algarvio : a tuberculose em ferroviários internados no Sanatório Carlos Vasconcelos Porto. In MENDES, António Rosa; OLIVEIRA, A. Paulo Dias; SANTOS, Cristina Fé, coord. - Contributo para a história da saúde no Algarve. Faro: Centro de Estudos de Património e História do Algarve, 2013. p. 193-209. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/26217
Abstract: Os arquivos sanatoriais constituem uma importante fonte informativa para o conhecimento da paleoepidemiologia e da história social da tuberculose (TB). O sanatório Carlos Vasconcelos Porto (SCVP), inaugurado em 1918 em S. Brás de Alportel (Algarve), foi a primeira instituição privada em Portugal dedicada ao tratamento da tuberculose pulmonar. Até 1952 os doentes admitidos eram funcionários, exclusivamente do sexo masculino, da Companhia dos Caminhos-de-Ferro. A investigação que se apresenta consistiu no estudo dos 128 processos clínicos ainda preservados no arquivo do SCVP relativos a doentes internados entre 1931 e 1944, ou seja, quando os antibióticos anti-tuberculosos e a vacina B.C.G. ainda não estavam disponíveis.Neste período o tratamento sanatorial preconizava a implementação do regime da ‘tríade higiénica’ e a aplicação das técnicas de colapsoterapia. A investigação realizada revelou que a idade de admissão situou-se entre os 25 e os 70 anos, sendo a média 40,7 anos, e o tratamento durou em média 337,2 dias, variando entre 3 dias e quase sete anos. Durante o internamento o peso dos doentes oscilou entre a perda de 10,5 Kg até ao aumento de 41,5 Kg, sendo 7,6 Kg a variação global do peso. O regime sanatorial não era eficaz em todos os casos como demonstram os 22 (17,2%) doentes falecidos no SCVP. Este estudo traz novas evidências para a história dos sanatórios e da tuberculose em Portugal e demonstra a importância da preservação de arquivos das instituições de saúde.
URI: http://hdl.handle.net/10316/26056
ISBN: 978-989-8472-32-8
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CIAS - Livros e Capítulos de livros
FCTUC Ciências da Vida - Livros e Capítulos de Livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Matos and Santos 2013 Promontoria.pdf706.84 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

81
checked on Jul 9, 2019

Download(s) 50

151
checked on Jul 9, 2019

Google ScholarTM

Check

Altmetric


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.