Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/24370
Title: Novos equilíbrios após o ‘11-de-setembro’: Diálogos intelectuais entre os Estados Unidos da América e a França
Authors: Tavares, Maria Manuela Coelho Glaziou 
Orientador: Aidos, Maria Isabel Caldeira Sampaio dos
Canelo, Maria José Florentino Mendes
Keywords: Intelectuais; Americanismo; Anti-intelectualismo; Anti-americanismo
Issue Date: 7-May-2014
Citation: TAVARES, Maria Manuela Coelho Glaziou - Novos equilíbrios após o ‘11-de-setembro’ : diálogos intelectuais entre os Estados Unidos da América e a França. Coimbra : [s.n.], 2013. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/24370
Abstract: Esta tese observa, em primeiro lugar, o estado do intelectualismo e do anti-intelectualismo e a sua relação com o americanismo, nas sociedades norte-americana e francesa. Num segundo momento questiona a adequação do conceito de ‘intelectual público’ nas sociedades americana e francesa atuais e a valorização do intelectual e o seu estatuto, nestas sociedades. Por fim, observa alguns ensaios críticos, publicados entre setembro de 2001 e março de 2006 por Jean Baudrillard, Joan Didion, Bernard-Henri Lévy, Susan Sontag e Gore Vidal, e a forma como dialogam entre si, no sentido musical do termo. Estuda, assim, como as vozes (de intelectuais norte-americanos e franceses) e os instrumentos (os seus ensaios) se alternam e respondem umas às outras, no que concerne aos temas indissociáveis do americanismo: o imperialismo, o excecionalismo, o terrorismo e o estado de exceção. Um dos pontos em análise é se objetivo destes intelectuais acaba por ser o reforço do equilíbrio que preside ao projeto do americanismo, quando este é posto em causa pela multiplicação de reações antiamericanas, vindas, e com veemência, de França. Sendo a América uma construção intelectual, é modelada pela expressão do consenso ou do dissenso de um vasto elenco de intelectuais de todos os quadrantes políticos, sociais, e étnicos. Nas obras consultadas, aponta-se, sobretudo, para a desconfiança que a sociedade americana deposita na relação entre intelectuais e o americanismo. Este facto explica as raras referências ao intelectualismo e aos intelectuais no contexto sociocultural americano, por oposição às numerosas menções feitas ao anti-intelectualismo. Esta avaliação do intelectualismo e dos intelectuais americanos merece, porém, uma análise menos facciosa, pois o intelectualismo precede o anti-intelectualismo. Apresenta-se, deste modo, uma linhagem de intelectuais americanos, cuja expressão do dissenso tem preservado o americanismo da destruição e de transgressão dos seus valores e metas. Estas diversas perspetivas intelectuais sobre o americanismo desafiam os interesses de alguns sectores americanos (económicos e políticos) e, por isso, a presença dos intelectuais na esfera pública e política, continua a ser objeto de algum repúdio. As ‘vozes atentas’, expressão que uso como alternativa ao ‘intelectual’, expõem, com clareza e insistência, o estado de exceção e de terror psíquico e intelectual que foi imposto aos cidadãos americanos pelo governo de George W. Bush. Na ótica do governo estas medidas eram legitimadas pela “Guerra ao Terrorismo”, mas as ‘vozes atentas’ consideram que elas derivaram afinal da fantasia do excecionalismo e evidenciaram uma manifestação nova deste fenómeno. Estas vozes lembram, assim, que esta prática singular de política externa e interna americana não é nova, nem inócua. As ‘vozes atentas’ defendem que os americanos encontrarão numa observação ponderada e desapaixonada do americanismo, os valores, conceitos e princípios para reinstaurar o equilíbrio no processo de construção da nação americana e melhorar a imagem da América e dos EUA. A ignorância, o anti-intelectualismo, o antirracionalismo, o terrorismo, o antiamericanismo, comportamentos e conceitos que, inegavelmente, por vezes, permeiam a história dos EUA, devem ser objeto de uma reflexão crítica contínua, uma prática secular, presente na indissolúvel e discreta aliança entre o americanismo e o intelectualismo.
Description: Tese de doutoramento em Estudos Americanos, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/24370
Rights: openAccess
Appears in Collections:FLUC Secção de Estudos Anglo-Americanos - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Novos equilíbrios após o 11-de-setembro.pdf2.75 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

406
checked on May 22, 2019

Download(s) 50

391
checked on May 22, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.