Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/20813
Title: Caracterização do esforço através da frequência cardíaca numa prova máxima de 500 metros em remo-ergómetro : estudo comparativo entre atletas infantis, iniciados, juvenis e juniores.
Authors: Miguel, António Manuel Santana de Lima 
Orientador: Santos, Amândio
Keywords: Remo; Frequência cardiaca
Issue Date: 2003
Keywords: Remo; Frequência cardiaca
Issue Date: 2003
Abstract: O presente estudo teve como objectivo a caracterização de uma prova máxima em remo – ergómetro, numa distância de 500 metros. Neste estudo foram monitorizados os valores da frequência cardíaca em intervalos de 5 segundos com o objectivo de caracterizar o esforço da prova bem como a sua recuperação e justificar possíveis diferenças entre os vários escalões, sendo caracterizadas as medidas antrpométricas dos indivíduos. Embora a frequência cardíaca máxima constitua um indicador que sofre uma grande variação ao longo da idade, é um critério válido (Freedson & Goodman, 1993) uma vez que a frequência cardíaca atinge um “plateau” antes da ocorrência do pico de VO2 tanto em crianças como adultos. Um período sem treino após um período de treino, resulta numa regressão de quase todas as modificações indicadas, quer se trate de indivíduos do sexo masculino ou feminino, quer se trate atletas ou não atletas; e a manutenção dos ganhos do treino em mu¬lheres é a mesma observada em homens, exigindo um programa de treino com a mesma intensidade de trabalho porém com sessões menos frequentes por semana do que o programa de treino regular (Otto, R. M.; 1977; Fox et al., 1978; cit. Fox e al, 1983, p. 275). A amostra foi constituída por quarenta indivíduos do sexo masculino, distribuídos por quatro escalões etários (Infantis – 10/11 anos, Iniciados – 12/13 anos, Juvenis – 14/15 anos, e Juniores – 16/17 anos), atletas federados na Federação Portuguesa de Remo com treino regular e participação com regularidade nos quadros competitivos regionais e nacionais da modalidade de remo, alem de participações internacionais na mesma. Foi realizada uma prova máxima em remo-ergómetro Concept II seguida de um minuto de recuperação activa e feito o registo da frequência cardíaca dos atletas. Juntando-se estes quatro grupos de remadores, verificou-se que existem diferenças entre a sua estatura, massa, tempo de prova, número de batimentos na recuperação, valor de batimentos cardíacos no final da recuperação, nos diâmetros ósteo-transversos bicôndilo umeral e femural, nos perímetros apendiculares braquial máximo e geminal. Em relação ao tempo de prova: Infantis: realizaram tempos entre 2,06m e 3,07m; Iniciados: entre 1,53m e 2,44m; Juvenis: entre 1,40m e 1,58; Juniores: entre 1,32m e 1,44m. Concluímos também: No escalão de remadores Infantis verificou-se que quanto maior a estatura do atleta menores são a sua frequência cardíaca máxima e média, assim como o valor final da recuperação; quanto maior for o seu perímetro geminal, mais rápido conclui a prova; quanto maior for a sua adiposidade, mais lenta vai ser a sua recuperação cardíaca. No escalão de remadores Iniciados, quanto maior for o seu diâmetro bicôndilo femural, e perímetro braquial máximo, mais baixa será a sua frequência cardíaca máxima. No escalão de remadores Juvenis, quanto maior for a sua estatura menos batimentos cardíacos vai haver na recuperação, que vai ser mais lenta; quanto maior for a sua massa e o seu índice de massa corporal, mais rápido efectua a sua prova; quanto menor tempo de prova fizer mais lenta será a sua recuperação; como acontecia nos atletas Infantis, quanto maior for o seu perímetro geminal, mais rápido conclui a prova. No escalão de remadores Juniores, quanto maior for a sua adiposidade mais tempo demorará o tempo de recuperação da frequência cardíaca; quanto maior for a sua massa e o seu índice de massa corporal, mais rápido efectua a sua prova; quanto menor tempo de prova fizer mais lenta será a sua recuperação; como acontecia nos atletas Infantis, quanto maior for o seu perímetro geminal, mais rápido conclui a prova. Em relação à frequência cardíaca média obtida durante a prova pelos atletas verificou-se o seguinte: Durante a prova, variou entre: 159,2 (±10,9) para o escalão de Infantis, e 171, 3 (±9,5) para o escalão de Juvenis. Durante a prova a frequência máxima dos atletas, variou entre (em batimentos por minuto, média e desvio padrão): 183,2 (±11) para o escalão de Infantis, e 190,1 (±7,3) para o escalão de Juvenis. Ao verificarmos por escalão o intervalo dos valores máximos da frequência cardíaca registados pelos atletas durante a prova, temos (em batimentos por minuto): Infantis: entre 169 (bpm) e 201 (bpm); Iniciados: entre 166 e 201 (bpm); Juvenis: entre 183 e 202 (bpm) e Juniores entre 181 e 202 (bpm). Os valores médios da frequência cardíaca obtidos pelos atletas dos quatro escalões foram (em batimentos por minuto, média e desvio padrão): Infantis: 159,2 (±10,9); Iniciados: 162,1(±12,2); Juvenis: 171,3 (±9,5); Juniores: 169,5 (±9,1).
Description: Dissertação de licenciatura apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/20813
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat
MONOGRAFIA FREQUENCIA CARDIACA 2003.pdf754.57 kBAdobe PDFView/Open
PARTE INICIAL.pdf204.24 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

502
checked on Aug 21, 2019

Download(s) 10

1,555
checked on Aug 21, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.