Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/17495
Title: A síndrome de overtraining e o burnout nos instrutores de fitness
Authors: Moraes, Alexandra Carvalho 
Orientador: Senra, Cristina
Keywords: Fitness; Overtraining; Burnout
Issue Date: 2005
Abstract: O presente estudo, inserido no âmbito do seminário “Variáveis Psicológicas em praticantes de Desporto e Actividade Física”, teve como objectivo comprovar a ocorrência da síndrome de overtraining e o burnout nos instrutores de fitness, através da análise das características biográficas, dos estados de humor, dos marcadores da Síndrome do Overtraining e dos marcadores do Burnout e Satisfação. A amostra foi constituída por 69 sujeitos. Dos quais, 43 são instrutores do sexo feminino e 26 são instrutores do sexo masculino. A cada sujeito da amostra foi aplicado um questionário elaborado expressamente para este estudo, que incluía questões relativas aos dados biográficos, ao questionário dos estados de humor (POMS), do Burnout e Satisfação (IBS) e a marcadores de OTS. Os resultados obtidos permitiram verificar que os marcadores de OTS mais referenciados são a “confiança para resolver os problemas pessoais” e “a frequência com que se deu por si a pensar acerca das coisas que tem que conseguir fazer”. Verificámos também que, quanto às dimensões do estado de humor, o vigor e a fadiga são as dimensões que mais se revelam nos instrutores de Fitness. Para os marcadores de OTS, entre os sexos, verificou-se que existem diferenças estatisticamente significativas, principalmente, quanto ao “incómodo com a ocorrência de acontecimentos inesperados”, diminuição imunológica e “falta de energia”, sendo as instrutoras as mais afectadas. Verificaram-se diferenças estatisticamente significativas, para os marcadores de IBS, entre os sexos, as idades, o tempo de serviço e o horário laboral semanal: - Para os marcadores, “sentimentos de estar no limite” e “instabilidade/ insegurança profissional”, entre sexos, observaram-se diferenças principalmente para os instrutores do sexo feminino; - Quanto à comparação entre os grupos de idades, chegou-se à conclusão que é no marcador, “sinto que consegui realizar muitas coisas importantes nesta profissão”, sobre o qual se encontram diferenças e que, esta noção de realização, se faz sentir mais no grupo com idades acima dos 30 anos; - Para o tempo de serviço, verifica-se que existem diferenças para o marcador, “compreendo facilmente como os alunos se sentem acerca das coisas” e que esta “compreensão” é mais característica ao grupo de tempo de serviço acima dos 5 anos; - Ao nível dos marcadores, “considero que tenho excesso que trabalho”, “acho que a remuneração é inadequada” e “tenho falta de tempo para a minha vida pessoal” também foram evidentes diferenças para os grupos de tempo de serviço, denotando-se um maior agravamento deste marcador no grupo de acima dos 37 anos de serviço. Esta investigação permitiu-nos conhecer melhor alguns aspectos que caracterizam a profissão do instrutor de fitness, como indivíduo praticante e docente, procurando deste modo, intentar contribuir para uma área que se apresenta, ainda, muito carente de informação.
Description: Dissertação de licenciatura apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física
URI: http://hdl.handle.net/10316/17495
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Capa frontal- contracapa.pdf81.32 kBAdobe PDFView/Open
Monografia.pdf806.56 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

319
checked on Jul 16, 2019

Download(s) 10

1,253
checked on Jul 16, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.