Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/1731
Title: Ecologia pelágica do braço sul do estuário do rio Mondego
Authors: Azeiteiro, Ulisses Manuel Miranda 
Orientador: Ré, Pedro Miguel Alfaia Barcia
Marques, João Carlos
Keywords: Ecologia; Biologia
Issue Date: 21-Oct-1999
Citation: Ecologia pelágica do braço sul do estuário do rio Mondego. Coimbra, ed. aut., 1999.
Abstract: No sentido da caracterização ambiental do braço sul do estuário do Mondego foi estudada a variação espacial e temporal da temperatura, salinidade, pH, oxigénio dissolvido, profundidade do disco de Secchi e coeficiente de extinção, nitratos, nitritos, fosfatos, clorofila a e faeofitina, com base na sua monitorização mensal, em 8 estações de amostragem, preia-mar e baixa-mar, em águas sub-superficiais, de Abril de 1995 a Julho de 1997. São descritos os padrões de distribuição espacio-temporal e mareal do zooplâncton nas taxocenoses de dimensão superior a 200 µm e 335 µm. O zooplâncton foi recolhido mensalmente, de Abril de 1995 a Abril de 1996, numa rede longitudinal de 8 estações, em preia-mar e baixa-mar de marés vivas. As faunas suprabêntica e macrozooplanctónica Peracarida crepuscular foram amostradas mensalmente entre Julho de 1996 e Junho de 1997. Foram recolhidas amostras quantitativas, com uma rede de colheita suprabêntica (500 µm), em baixa-mar de marés vivas, e com uma rede de colheita de zooplâncton (500µm), em preia-mar de marés vivas e durante o período crepuscular, em estações localizadas a intervalos regulares. Foi efectuado um inventário das espécies macrozooplanctónicas Peracarida tendo sido identificadas 15 Isopoda, 14 Mysidacea, 18 Amphipoda e 3 Cumacea; as ordens Tanaidacea e Eucarida Euphausiacea surgiram representadas por uma única espécie cada. As comunidades suprabênticas foram identificadas mediante uma técnica estatística multivariável de classificação divisiva, tendo sido comparadas a densidade e a biomassa das espécies dominantes em cada comunidade e entre comunidades assim como a sua composição específica e diversidade. A diversidade foi mais elevada na embocadura do estuário, onde a densidade e a biomassa foram inferiores, diminuindo para montante, onde a densidade e a biomassa atingiram valores máximos. Os padrões espaciais dominaram sobre os padrões temporais. Mesopodopsis slabberi (Van Beneden) é a espécie mais abundante dos Mysidacea encontrados no estuário do rio Mondego, representando um importante nível trófico da ecologia do estuário. São descritas a distribuição espacial, abundância sazonal, ciclo de vida, e produção de M. slabberi. Os indivíduos de M. slabberi foram recolhidos, utilizando redes de arrasto sub-superficial, durante o período crepuscular e preia-mar, e redes de fundo, durante o dia e em baixa-mar, com malhagens de 335 µm e 500 µm, respectivamente, no período de Julho de 1996 a Julho de 1997. As relações morfométricas em Mesopodopsis slabberi foram determinadas a partir de espécimens frescos. Foram obtidas correlações positivas significativas entre o comprimento total (CT) e o comprimento da carapaça (CC) (CT = 2.5 CC + 0.012) e entre o peso seco (PS) e o comprimento total (LnPS = 3.0298 LnCT - 6.0229). A produção anual de M. slabberi foi estimada pelo método da coorte média de HYNES. A produção anual foi de 16,02 mg.m-3 ano-1, e a proporção de P/B foi 2,57. Foi ainda estudada a variação temporal da composição bioquímica (proteínas, hidratos de carbono, quitina, lípidos, fosfolípidos e colesterol) em M. slabberi, entre Outubro de 1996 e Julho de 1997. Foram determinadas diferenças na composição relativa (percentagem relativa ao peso seco total), para os componentes bioquímicos estudados, entre fêmeas, machos e juvenis, e ao longo do período de amostragem (variações mensais). A análise estatística dos resultados revelou diferenças significativas na composição bioquímica de M. slabberi ao longo do ano e, também, entre juvenis, fêmeas e machos ao nível de cada mês. A disponibilidade trófica e o estado reprodutivo parecem ser os principais processos que influenciam os padrões sazonais da variação da composição bioquímica. As implicações ecológicas, em termos de estado nutricional, ciclo reprodutivo e dinâmica populacional destes organismos são discutidas.
Description: Tese de doutoramento em Biologia (Ecologia) apresentada à Fac. de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/1731
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

61
checked on Dec 11, 2019

Download(s) 20

857
checked on Dec 11, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.