Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/17260
Title: Monotorização e controlo do treino : avaliação da via anaeróbia numa equipa de futebol júnior
Authors: Leal, Bárbara Joana Fernandes 
Orientador: Santos, Amândio
Keywords: Jovens futebolistas;Futebol;Treino desportivo;Vias anaeróbias
Issue Date: 2005
Abstract: O futebol é um desporto que centra a sua atenção quase exclusivamente nos aspectos técnico-tácticos, negligenciando os factores fisiológicos. A condição fisiológica dos jogadores assume um papel fulcral na performance desportiva. Para tal, a avaliação física do futebolista permite ao treinador monotorizar e controlar o treino, e aquando da organização colectiva de jogo, optar por escolher um jogador para o desempenho de uma determinada função, atendendo à sua aptidão física, ou apostar fortemente no treino para que o jogador possa desempenhar essa função. Assim, o presente estudo teve como objectivo averiguar importância da avaliação anaeróbia na monotorização e controlo do treino no futebol júnior. Para tal efectuamos testes laboratoriais de impulsão vertical – Countermovement Jump (CMJ) e Countermovement Jump adaptado (com cabeaceamento), para analisar a potência anaeróbia - absoluta (w) e relativa (w.kg-1). Assim como testes de terreno, tal como, o Running based on Sprint Test (RAST), para avaliar a potência anaeróbia máxima, média e mínima (w), e a capacidade anaeróbia partindo do índice de fadiga (IF) (w), e simulamos ainda um jogo de treino, para investigar alguns parâmetros fisiológicos - frequência cardíaca (bpm) e concentração de lactato ([lactato]) (mmol.l-1). A amostra em estudo foi constituída por 17 sujeitos (17,4 ± 0,9anos; 171,85 ± 5,46cm; 66,1 ± 5,63kg) do sexo masculino, jogadores de futebol, do escalão júnior A, do Campeonato Distrital de Viseu. Efectuaram-se 4 sessões de testes, medindo em todas elas, a estatura e a massa, para verificar se ocorriam alterações significativas. Na primeira, a amostra foi caracterizada pela avaliação antropométrica e somatótipo, em termos da equipa e relativamente às diversas posições ocupadas no terreno de jogo. Na segunda, realizaram-se os testes de CMJ e CMJ adaptado, sendo intervalados de 30s de recuperação. Durante o jogo de treino, efectuamos a monotorização da frequência cardíaca (FC), a intensidade de esforço, e recolhemos lactatos aos 35min e 80min de jogo (10min antes do término de cada parte). No RAST, analisamos a potência e capacidade anaeróbias, a velocidade média dos 6 sprints. Formam também analisadas as concentrações de lactato [lactato] aos 0min, 3min, 5min e 7min após a sua conclusão, assim como a variação da FC durante o teste, recolhida depois de cada sprint, e após o esforço, ao 1ºmin, 3ºmin, 5ºmin e 7ºmin. A análise estatística foi realizada através do teste t de Student, e do coeficiente de correlação Produto Momento de Pearson, sendo o nível de significância considerado de p <0,05. Da análise dos dados verificámos o seguinte: Relativamente à massa corporal, são os médios os que registam os maiores valores (70,82 ± 2,20kg). Ao passo que na estatura, são os avançados (174,5 ± 3,48cm) e os médios (173,72 ± 2,98cm) aqueles que apresentam os maiores valores. Verificam-se diferenças altamente significativas (p <0,01) entre as variáveis deslocamento do CG (cm), potência absoluta (w) e relativa (w.kg-1), e tempo de voo (s) no CMJ e CMJ adaptado; Relativamente ao jogo de treino, verificaram-se [lactato] e frequência cardíaca (bpm) superiores na 1ª parte (4,57 ± 2,11mmol.l-1 e 164,53 ± 12,77bpm) comparativamente com a 2ªparte, (4,24 ± 2,58 mmol.l-1 e 156,07 ± 9,02bpm), respectivamente; existindo diferenças altamente significativas (p <0,01) para a FC, no entanto na concentração de lactato não existem diferenças estatisticamente significativas (p> 0,05). No RAST, verificamos um declínio progressivo da velocidade (km/h) e da potência (w) a partir do 1ºsprint. A FCmédia em cada sprint aumenta significativamente em cada uma das tentativas obtendo o valor mais elevado no 6º Sprint (185,00±12,07bpm). Na recuperação da FC após o esforço, verifica-se uma redução estatisticamente significativa (p <0,05) em cada um dos momentos observados (1º, 3º, 5º e 7ºmin) Na concentração de lactato verificámos diferenças estatisticamente significativas (p <0,05; 10,17± 3,11 vs. 11,13± 3,07mmol.l-1) entre os 0 e os 3min. Ao analisar a relação entre os testes de CMJ/CMJ adaptado com o RAST, observamos uma correlação estatisticamente significativa (p <0,05) entre a potência máxima e média do RAST (w) com a potência no CMJ adaptado (w) o que nos dá algumas indicações sobre a necessidade de escolher testes específicos para cada uma das modalidades.
Description: Dissertação de licenciatura apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física
URI: http://hdl.handle.net/10316/17260
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA- BARBARA LEAL - 20012378.pdf1.28 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

410
checked on Apr 16, 2019

Download(s) 20

445
checked on Apr 16, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.