Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/15416
Title: Influência do género na percepção da qualidade de vida e resiliência familiares.
Authors: Feliciano, Catarina Isabel Marques 
Orientador: Carvalho, Maria Madalena de
Keywords: Género;Resiliência (psicologia);Família;Qualidade de vida
Issue Date: 2010
Abstract: O presente estudo tem como objectivo principal analisar em que medida o género influencia a percepção da qualidade de vida e resiliência familiares. Pretendemos também atender a algumas variáveis sócio-demográficas (idade, estado civil, local de residência e nível socioeconómico) e familiares (etapa do ciclo vital) que podem funcionar como mediadoras. Para tal recorremos aos instrumentos Qualidade de Vida (QV) e Forças Familiares (QFF), e a um Questionário Demográfico. Assim, procedeu-se à comparação de duas sub-amostras: género feminino (n=83) e género masculino (n=38), pertencentes a uma amostra de conveniência. Os resultados mostram que o género não influencia a percepção da qualidade de vida familiar global, nem das suas dimensões, há excepção do factor casa. A interacção género/variáveis mediadoras influencia a percepção das suas dimensões; ao nível global apenas há influência na interacção género/nível socioeconómico. Na resiliência familiar (global e dimensões) o género também não exerce influência. Quanto à interacção género/variáveis mediadoras, apenas a interacção género/local de residência e género/etapa do ciclo vital influencia a percepção das suas dimensões; globalmente, reflecte-se na interacção género/local de residência. Além de poder impulsionar novos estudos e conclusões, esta investigação fornece informação importante que pode ajudar terapeutas e outros interventores no apoio a prestar a indivíduos e famílias.
Abstract: The present study aims to investigate the extent to which gender influences the perception of quality of life and family resilience. We also intend to attend another socio-demographic (age, marital status, place of residence and socioeconomic status) and family (stage of the lifecycle) variables that can act as mediators. To this end, we have recourse to instruments Quality of Life (QOL), Family Forces (FFQ) and a Demographic Questionnaire. This way, we proceeded to the comparison of two sub-samples: female (n=83) and male (n=38) gender, belonging to a convenience sample. The results shows that gender doesn´t influence the perception of overall quality of family life, nor of their dimensions, exception for the factor home. The interaction gender/mediating variables influence the perception of its dimensions; at the global level only exists influence in the interaction gender/socioeconomic status. In family resilience (global and dimensions) gender did not influence. As for the interaction gender/mediating variables, only the interaction gender/place of residence and gender/stage of the lifecycle influences the perception of its dimensions; globally, reflected in the interaction gender/place of residence. Besides being able to drive new studies and conclusions, this research provides important information that can help therapists and other experts in assisting individuals and families.
Description: Dissertação de Mestrado em Psicologia, na área de especialização em Psicologia Clínica e Saúde, Subárea de Especialização em Sistémica, Saúde e Família,apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, sob a orientação da Doutora Madalena de Carvalho.
URI: http://hdl.handle.net/10316/15416
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

583
checked on Apr 17, 2019

Download(s)

19
checked on Apr 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.