Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/12012
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorTeixeira, Ana Maria Botelho-
dc.contributor.advisorRama, Luís-
dc.contributor.authorFerreira, Mário Alexandre Jerónimo Ferreira-
dc.date.accessioned2009-11-17T13:25:42Z-
dc.date.available2009-11-17T13:25:42Z-
dc.date.issued2009-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/12012-
dc.descriptionDisponível em suporte de papel na Biblioteca da FCDEF-UCen_US
dc.description.abstractA VFC tem vindo a crescer de interesse enquanto parâmetro caracterizador da eventual adaptação dos indivíduos à carga de treino. O objectivo do estudo foi analisar as alterações fisiológicas e psicológicas ocorridas no período de taper. Controlámos a adaptação à carga de treino representada pela frequência de sessões, intensidade e duração ao longo de um macrociclo, através da utilização de dois instrumentos psicológicos - POMS e TDS -, e da VFC enquanto parâmetro fisiológico. A análise da VFC foi efectuada em sete (7) momentos correspondentes a um macrociclo. A amostra deste estudo foi constituída por dez (10) nadadores, quatro (4) do sexo feminino e seis (6) do sexo masculino, com idade média 18 ± 2 anos. Diversos estudos realizados nesta área apontam para que a VFC diminua com um aumento da intensidade e carga de treino, e que aumente associada à redução da carga o que acontecerá à medida que os nadadores se aproximem da competição. As principais conclusões deste estudo, nas variáveis da VFC do domínio tempo demonstram que existiu um aumento do predomínio da influência do sistema nervoso parassimpático antes da competição o que revela a uma boa estratégia de preparação. Os resultados encontrados no domínio frequência, mostram-se contraditório com alguns dos estudos publicados neste âmbito. Apenas encontramos diferenças significativas em valores absolutos quer na Baixa e Alta frequências, o que mostra-se discordante com os que defendem que o poder das altas frequências decresce, e com os que advogam que as baixas frequências não se alteram. No entanto os resultados mostram-se concordantes com os que referem que a razão entre as baixas e as altas frequências (LF/HF) não se modifica ao longo do processo de treino. Relativamente aos estados de humor constatámos que o perfil dos nadadores que constituem a nossa amostra é semelhante ao dos atletas de elite existindo uma relação entre os estados emocionais e o sucesso desportivo. A correlação entre as variáveis do domínio emocional e VFC, parece traduzir uma associação entre o SNA e o estado do humor. Já a associação de uma variável de treino com o questionário TDS faz comprova o interesse da utilização deste instrumento no controlo de treino.en_US
dc.language.isoporen_US
dc.rightsopenAccessen_US
dc.subjectMonitorização do treinoen_US
dc.subjectNataçãoen_US
dc.subjectTestesen_US
dc.subjectTreino desportivoen_US
dc.titleControlo e Avaliação do Treino em Natação Pura Desportiva - Análise da Resposta da Variabilidade da Frequência Cardíaca, e os Estados de Humor em Nadadores de Elevado Rendimento ao Longo de um Macrocicloen_US
dc.typebachelorThesisen_US
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.advisor.deptFaculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade de Coimbra-
crisitem.advisor.researchunitResearch Unit for Sport and Physical Activity/University of Coimbra-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-9619-8618-
Appears in Collections:FCDEF - Vários
Files in This Item:
File Description SizeFormat
Mário Ferreira.pdf996.48 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 20

470
checked on Sep 10, 2019

Download(s) 50

347
checked on Sep 10, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.